De olho no G-4, a ordem no Fluminense é fazer o dever de casa

Tricolor não pode bobear contra a ameaçada Chapecoense

Por O Dia

Rio - Com a Chapecoense pelo caminho, às 19h30, no Maracanã, o Fluminense tem a obrigação de vencer para se manter vivo na disputa por uma vaga no G-4. Com 57 pontos, a equipe ocupa o sétimo lugar na tabela e tem a plena consciência de seu papel nas últimas quatro e decisivas rodadas do Brasileiro. A cobrança é para que os jogadores façam a sua parte para, então, depois pensar nos concorrentes diretos.

Cícero deve começar jogando contra a ChapecoenseNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

“É obrigação. Existe a pressão para decidirmos nossa situação. Para atingir isso (o G-4), teremos de ganhar praticamente todos os jogos. As próximas rodadas serão assim, não teremos facilidades”, disse Cristóvão Borges.

A presença da Chapecoense na zona de rebaixamento promete dificultar a missão tricolor. No primeiro turno, a equipe catarinense levou a melhor — vitória de 1 a 0. Na ausência de Wagner, suspenso, Cícero herda a vaga no meio de campo e terá a chance de mostrar seu poder de decisão. No Brasileiro, o camisa 5 já marcou seis gols. A versatilidade do apoiador é um dos trunfos para furar a esperada retranca do adversário.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

“Wagner tem um pouco mais de dinâmica em relação a Cícero, que compensa com um tempo de chegada na área muito bom. Ele sabe jogar em várias funções e será de grande contribuição à equipe”, disse o treinador.

A dúvida entre Rafael Sobis e Walter no ataque não foi desfeita. No leve treino de ontem, o comandante tricolor manteve o mistério. Independentemente de quem seja o companheiro de Fred nesta quinta de noite, o Fluminense — dono do terceiro melhor ataque do Brasileiro — sabe o que precisa fazer no Maracanã.