Por edsel.britto

Rio - O primeiro Fla-Flu a gente nunca esquece. Para o técnico Ricardo Drubscky ele chega na fase mais importante da carreira, aos 55 anos. Há menos de 15 dias no cargo, ele recebe com tranquilidade a pressão de ter que classificar o time para a semifinal do Carioca e revela ansiedade pelo clássico que considera especial. Otimista, ele manteve a escalação da equipe no treino tático de ontem, nas Laranjeiras, e confessa que pisar no Maracanã mexe com ele.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

“Não é diferente. O treinador vive, e um treinador emergente como eu vou viver esse clássico de maneira especial. Digo com toda sinceridade, tenho ao longo dos anos tentado me desenvolver em todos os aspectos para ir de maneira mais equilibrada e tranquila às competições. Vou tranquilo, é uma semana intensa. Mas a bolinha sobe e desce no estômago. Eu vou estar à beira de campo consciente do que estou fazendo”, comentou.

Ricardo Drubscky fará o seu primeiro Fla-Flu no próximo domingo, no MaracanãErnesto Carriço

Na atividade de ontem, Drubscky repetiu o time que enfrentou o Barra Mansa, com Cavalieri, Wellington Silva, Gum, Marlon e Giovanni; Edson, Jean, Gerson e Wagner; Kenedy e Fred. Após duas vitórias consecutivas, o treinador diz que a equipe ainda tem muito a evoluir sob o seu comando, mas mostra satisfação pelo que vê sendo apresentado em campo.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

“Não vamos jogar o fino da bola com uma semana, uma semana e meia de trabalho. Vamos melhorar em alguns pontos. Vi defeitos e problemas, mas vi também muitas virtudes. A gente espera que o Fluminense entre firme, com imposição de jogo, mostrando qualidade. Quando precisar marcar, humildade e firmeza. A resposta que eles têm dado é ótima. Eles têm muito interesse nos treinamentos”, afirmou.

Com ou sem Luxa, parada vai ser dura no Maracanã

?Bom político, Ricardo Drubscky não vê vantagem em enfrentar o Flamengo sem Vanderlei Luxemburgo no banco de reservas. O rubro-negro está suspenso pelo TJD-RJ e não ficará à bera do campo no clássico.

“Não temos muito o que dizer sobre a ausência do Luxemburgo. O Flamengo vai jogar de maneira tranquila com ou sem ele. Admiro o trabalho dele. Acho que teremos dificuldades, mas também vamos oferecer resistência”, garantiu Drubscky.

“Vou falar por mim. Não gostaria de ficar fora de um jogo, acho importante ficar à beira do campo. Estaremos concentrados para pegar um adversário muito forte”, completou o técnico tricolor.

Você pode gostar