Por pedro.logato

Rio - Trocadilhos à parte, o Fluminense é um time na marca do pênalti. A eliminação para o Botafogo, sábado, abriu ferida que precisa ser curada até a estreia da equipe no Brasileiro, no dia 9 de maio, contra o Joinville, no Maracanã. Questionado, o técnico Ricardo Drubscky promete, até lá, uma equipe mais madura taticamente e que não repetirá os muitos erros do Carioca.

Fluminense se prepara para o Campeonato BrasileiroErnesto Carriço

“Vou usar essa desclassificação como benefício de preparação para o Brasileiro. Será uma temporada de treino, com bastante trabalho tático, conceitual. Vamos acrescentar elementos do jogo e qualificar nossa equipe”, declarou o comandante, que deu folga para a equipe até a tarde de quarta-feira. “Vamos dar dois ou três dias de folga para eles baixarem o estresse e retomar o curso de trabalho de maneira firme”, completou.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Trabalho é a palavra de ordem nas Laranjeiras. Após profunda reformulação, o time ainda não engrenou na temporada e a troca de comando, com a saída de Cristóvão e a chegada de Drubscky, piorou ainda mais a adaptação à nova realidade. Os jogadores sentiram e sabem que muito precisa ser feito para que o time não passe por maus bocados no segundo semestre.

Outra deficiência que ficou evidente na eliminação foi a falta de um reserva imediato para o capitão Fred. Apesar de ter 39 anos, o atacante abriu negociações com o Tricolor e pode ser liberado do Ceará sem o pagamento de multa rescisória.

Você pode gostar