Apresentado, Antônio Carlos diz que retorno é um presente para o seu pai

Zagueiro está de volta ao Tricolor depois de dez anos

Por O Dia

Rio - Há exatamente dez anos, Antônio Carlos, um então jovem zagueiro promissor de Xerém, embarcava para a França em busca de um desafio na sua carreira de atleta. Já com o nome escrito na história do Tricolor, após o gol do título do Estadual de 2005, o defensor não foi bem na Europa e retornou ao futebol brasileiro. Depois de rodar por Atlético-PR, Atlético-GO, Botafogo e São Paulo, o atleta, agora experiente com 31 anos, está de volta ao Tricolor. Apresentado em Mangaratiba, onde o Flu faz o seus treinos antes do começo do Brasileiro, o jogador falou sobre vestir novamente as três cores que traduzem tradição.

Antônio Carlos é apresentado ao lado do vice presidente de futebol do Flu%2C Mario BittencourtDivulgação

"Nunca planejei voltar. A primeira oportunidade concreta de retornar foi essa, fiquei dez anos longe. Já tinha deixado claro pro meu procurador que eu queria voltar para o Fluminense. Tive outras propostas, mas preferir voltar pra casa. Me sinto bem aqui. Estou realizando um sonho do meu pai, que é tricolor doente. Ele me pedia sempre. Estou muito feliz", afirmou.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Se atualmente o Flu conta com grandes revelações da base como Marlon, Gerson e Kenedy, na época de Antônio Carlos não era diferente. Na equipe campeã do Carioca de 2005 havia jogadores que vieram de Xerém como ele, Arouca e Diego Souza.

"Na minha época subiu uma galera boa. Rodolfo, Diego Souza, Carlos Alberto... Quando a gente subia, chegava meio tímido. Esses meninos que chegam no profissional hoje em dia não querem nem saber. Eles já chegam dando tapa na cabeça e isso é bom. Nem tudo são flores no futebol. Todos tem muita responsabilidade e eles sabem da importância e da missão deles pro grupo", concluiu.