Um Fluminense ainda em formação

Drubscky aposta em esquema com três volantes para melhorar defesa

Por O Dia

Rio - Ricardo Drubscky chegou ao Fluminense no dia 24 de março para o lugar de Cristóvão Borges e em quase dois meses de clube ainda busca uma formação ideal. Enérgico nos treinos, ele mostra o melhor posicionamento, cobra os jogadores e não poupa a voz. O treinador começou com dois volantes e dois meias. Tentou depois o 4-5-1 com dois jogadores abertos e na última partida escalou a equipe com três marcadores no meio-campo.

Drubscky chegou ao Flu no fim de marçoAndré Mourão

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Em sete partidas oficiais, Drubscky conseguiu aproveitamento de 71,4% dos pontos com cinco vitórias e duas derrotas, acima do aproveitamento do antecessor Cristóvão Borges em 2015. O ex-comandante teve 66,6% de aproveitamento nos 11 jogos que disputou neste ano.

Se a média de gols marcados segue parecida - 1,81 de Cristóvão contra 1,85 de Drubscky -, a defesa ainda segue sendo o calcanhar de Aquíles do novo treinador que viu a média de gols sofridos aumentar de 0,81 para 1,28.

Apesar de não ter sido vazado na estreia do Brasileirão contra o Joinville, o novo sistema de jogo não foi testado já que o time catarinense teve um jogador expulso aos 23 minutos do primeiro tempo, mudando todo o panorama da partida. Para a partida de domingo, contra o Atlético-MG, Drubscky já terá que mudar o time, pois Kenedy e Marlon estão na seleção brasileira sub-20.

“São excelentes, que estão numa crescente, em alta, tanto que foram para a seleção. Hoje eu posso dizer que o Marlon dá uma estabiliza a zaga e o Kenedy corre pelo time inteiro. Vai bem na parte ofensiva e ajuda muito na defesa também”, analisou Robert.