Pai de Gerson, do Flu, confirma propostas de outros clubes pelo atleta

Marco Antônio da Silva ressaltou que o filho deve ficar até o fim da temporada no Tricolor, porém, diferente do ano que vem

Por O Dia

Rio - As jóias de Xerém estão cada vez mais cobiçadas no exterior. Exemplo disso é o meia Gerson, que vem recebendo sondagens de outros clubes e, com isso, tem seu futuro indefinido no Fluminense. De acordo com o pai do jovem, Marco Antônio da Silva, a situação financeira que o Tricolor passa favorece sua saída, que é vista como boa para todas as partes. 

"Estamos num momento bom no Fluminense, tranquilo, trabalhando, mesmo com os assédios, que são verdadeiros, em cima do Gerson. O Gerson procura fazer a parte dele em campo e eu fora. No Fluminense, todos estão tentando fazer o melhor, mas o momento não é fácil. Quando o momento é difícil, temos que achar uma solução. Como pai do Gerson e por ser grato ao Fluminense, tenho um carinho por esse clube. É tão grande que tenho de dizer que o momento, para tirar do Fluminense da situação que ele se encontra, não forçando nada, é fazer a venda do Gerson. Ele é um jogador pretendido por vários clubes. Seria bom para todos", disse Marcão, em entrevista à Rádio Brasil.

Cobiçado pela Juventus, Gerson poderá se despedir das LaranjeirasDivulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Questionado sobre a permanência do Gerson até o fim da temporada, o pai comentou que é possível de acontecer, mas ressaltou que para 2016, será bem difícil que o meia fique nas Laranjeiras.

"O interesse da Juventus é real. Estive na Itália, conversei com o representante do clube lá. Ele veio aqui, fez a proposta para o Fluminense, que não aceitou naquele momento. O presidente vem fazendo uma força para mantê-lo aqui, pois a torcida tem um carinho pelo Gerson e ele também pelo clube. Ele adora o clube, onde chegou criança. Mas, ao mesmo tempo, percebe que as coisas têm de acontecer de uma forma boa para o Fluminense e para ele. Eu posso dizer para você que o esforço que está sendo feito pela diretoria, pelo presidente, um bom homem, está sendo em prol da permanência dele. Não só para o final dessa temporada. Mas podemos dizer que não é uma tarefa fácil mantê-lo para o ano que vem. Se não houver uma coisa muita sólida para conseguir segurar as pontas, vai ser difícil ele permanecer. Esse ano acredito que ele fique, mas ano que vem não prometo", finalizou.