Uma colcha de retalhos no Fluminense

Entre lesionados e suspensos, Enderson terá de suar para montar o time

Por O Dia

Rio - Para o jogo contra a Ponte Preta, no Maracanã, daqui a nove dias, pela oitava rodada do Brasileirão, o time do Fluminense está, literalmente, sem pé nem cabeça. Com muitas dificuldades para escalar a defesa e o ataque, o técnico Enderson Moreira terá que rachar a cuca, entre problemas de suspensão e de ordem médica.

Enderson Moreira terá dificuldades para escalar o TricolorCarlos Moraes

Na zaga, ele não poderá contar com Gum, que terá de cumprir suspensão automática, e Antônio Carlos. Substituído no intervalo contra o Palmeiras por causa de dores musculares, o jogador será submetido hoje a um exame para saber se houve lesão.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Se a partida contra a equipe de Campinas fosse amanhã, a zaga tricolor, provavelmente, seria formada por Henrique e Victor Oliveira, já que Marlon está com a Seleção sub-20 no Mundial que está sendo disputado na Nova Zelândia.

No ataque a situação é praticamente a mesma. Titular absoluto, Fred, com um incômodo muscular, foi poupado e tem boas chances de se recuperar. Já Magno Alves terá de cumprir suspensão. Como Kenedy ainda se convalesce de uma cirurgia de apendicite, o Flu teria hoje apenas um atacante à disposição: o jovem Lucas Gomes, que tem sido pouco aproveitado desde que chegou do Icasa (CE).

O único retorno garantido é o do meia Wagner, que cumpriu suspensão automática contra o Palmeiras por causa do terceiro cartão amarelo e está à disposição do técnico. O time tricolor se reapresenta amanhã nas Laranjeiras.