Sai Wagner e Osvaldo chega no Flu

Meia não veste mais a camisa tricolor. Atacante está perto de acerto

Por O Dia

Rio - Wagner aceitou a proposta do Tianjin Teda, da China, e não vestirá mais a camisa do Fluminense. O clube tem direito a 20% do valor da transação. Em negociação avançada, o camisa 10 pediu para não enfrentar o São Paulo, domingo, no Morumbi. Preocupada com um possível desmanche, a diretoria se movimenta em busca de reposição no mercado. Para o lugar de Kenedy, perto de ser oficializado pelo Chelsea, a diretoria acertou com Osvaldo, ex-São Paulo.

Osvaldo deve chegar ao Flu nesta terça-feiraDivulgação

O atacante é esperado hoje no Rio para passar por exames médicos e assinar contrato de dois anos. Com os direitos ligados ao Al Ahli, ele será cedido em definitivo ao Fluminense. Uma dívida do clube saudita com Osvaldo facilitou o acordo.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Wellington Paulista, ex-Coritiba, também é esperado nas Laranjeiras. Seu contrato terá duração de dois anos e meio. Ele chega para disputar com Magno Alves a posição de reserva imediato de Fred. A expectativa é que a dupla seja oficialmente apresentada até sexta-feira.

Com o ataque reforçado, a diretoria se concentra na busca de nomes para o meio de campo. Em recuperação de uma fratura no pé esquerdo, Vinícius corre o risco de ficar até dois meses sem jogar. Sem Wagner, Enderson Moreira perdeu mais uma opção no setor de criação.

“Wagner foi campeão no Fluminense, mostrou sua qualidade. Apesar de ser um camisa 10, ele é dinâmico e voluntarioso em campo. Pena que é muito difícil competir com o mercado chinês”, disse o volante Pierre. A pedido de Enderson Moreira, o clube também tenta contratar um lateral-esquerdo.

PIERRE COLOCA FLU ENTRE OS FAVORITOS

Com 21 pontos, dois a menos que o Atlético-MG, o Fluminense tem mostrado fôlego na perseguição pela liderança. Em quarto lugar, a equipe segue no ‘bolo’. Satisfeito com o bom momento do time no Brasileiro, Pierre acredita no potencial do grupo na disputa do título. No entanto, prega cautela.

“O momento não é para euforia, é de pés no chão. Sabemos a dificuldade do Brasileiro. É difícil apontar um favorito. São uns dez com condições. Mas o Fluminense nunca entra só para participar. Estamos confiantes de que podemos buscar, mas não se faz isso com palavras. É com atitude dentro de campo”, disse o volante.

Para comprovar a boa fase no Brasileiro, o Tricolor recebe o Cruzeiro, quinta-feira, às 21h, no Maracanã.