Mário Bittencourt lamenta protesto no Flu e diz que intenção de grupo é outra

Dirigente acredita que confusão nas Laranjeiras nesta terça-feira foi isolada: 'Não vou generalizar. Não é a nossa torcida'

Por O Dia

Rio - As coisas ficaram ainda mais difícies no Fluminense após o episódio de um protesto nas Laranjeiras na tarde desta terça-feira. Chateado com a situação, Mário Bittencourt, que foi alvo das cobranças de alguns torcedores, lamentou o caso e, em desafo, disse que não irá generalizar e acredita que confusão partiu de um grupo isolado.

"Não vou me alongar muito nesse assunto. Vocês, os jornalistas, fizeram muito bem o trabalho. Registraram o que aconteceu. É triste, é feio. Mas, infelizmente, a gente ainda passa por essas situações no Brasil. Não falo no particular. Sinto pelas pessoas que aqui trabalham. Nos prejudicou, atrasou o treino. Os jogadores trabalharam sob pressão. Pode nos prejudicar amanhã. Não vou generalizar. Não é a nossa torcida. É um grupo. Temos de avaliar se é só um protesto. Não sou contra. É um direito democrático. Mas, a partir do momento que a gente percebe, que a intenção é outra, que não apenas reclamar do time, fico triste. Se dessem importância a outras questões sociais que dão ao futebol, nosso país seria melhor. É triste. Não estou mandando recado a ninguém. Não vou mudar meu foco de trabalho. Não vou deixar de atender ao Flu", afirmou. 

Mário Bittencourt lamenta protesto nas LaranjeirasDivulgação

Mário Bittencourt aproveitou para ressaltar a dificuldade que o técnico Enderson Moreira vem encontrando para escalar a equipe tricolor, já que alguns jogadores considerados peças importantes no elenco, estão sem condições físicas de entrar em campo.

"Enderson mudou o time contra o Coritiba e o manteve contra o Sport. E não fomos bem. Fomos abaixo da crítica. Estamos tentando encontrar o caminho juntos. Não vamos dar a cabeça de ninguém à prêmio. A gente dá satisfação à consciência, aos verdadeiros torcedores e aos nossos profissionais. Acredito no trabalho. Não vou fritar ninguém na imprensa. Não vou contratar treinador tendo outro no clube. Sou assim. Nem melhor nem pior do que ninguém. Enderson passa por dificuldades, ele pegou o clube em maio e tem de reconstruir. Se ele entender que não consegue, passa por ele. Se a gente entender que ele não consegue, sentaremos e falaremos", finalizou. 

Sem vitória no segundo turno do Campeonato Brasileiro, o Fluminense segue cada vez mais longe do G-4 e despencou para a 11º colocação na tabela, com 34 pontos. Nesta quarta-feira, o Tricolor recebe o Palmeiras, às 19h30, no Maracanã.