Por jessica.rocha

Rio - Em tempos de crise, o Fluminense tem evitado a exposição. Nos treinos na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca, fechado para o público em geral, o técnico Eduardo Baptista tem o tempo como inimigo na tentativa de arrumar a casa. Recém-chegado, ele aposta suas fichas no renascimento da equipe na Copa do Brasil contra o Grêmio, nesta quarta-feira, às 22h, no Maracanã, para encurtar o ‘exílio’ tricolor.

“É um lugar diferenciado, paradisíaco (EsEFEx). Talvez o motivo para os treinos acontecerem aqui, a gente não goste. Pelo fato de ser um momento de pressão. Espero sair logo desta situação e voltar pra cá simplesmente para poupar o gramado das Laranjeiras, que é a nossa casa. Privacidade é fundamental, mas não gosto de fechar treinamentos”, disse Baptista.

Fluminense enfrenta o Grêmio no MaracanãDivulgação

A oportunidade de mostrar seu trabalho em âmbito nacional é o combustível do novo comandante tricolor. Fiel às suas convicções, deu crédito a Ronaldinho, mas decidiu mantê-lo no banco. Com poucas dúvidas, o treinador definiu a equipe com Pierre e Cícero como novidades à frente da defesa

“Mudei um pouco a maneira de a equipe jogar. O momento exige mais conversa, mais trabalho de campo. Em qualquer equipe não se treina o que treinamos nestes poucos dias”, disse Baptista.

Pelo segundo dia seguido, o técnico trabalhou sob os olhares da cúpula tricolor. Mais ativo no dia a dia do time, o presidente Peter Siemsen negou qualquer problema de relacionamento do grupo com o vice de futebol, Mário Bittencourt, que recebeu o seu apoio.

Clube admite dívida com os jogadores

A crise econômica do Brasil teve reflexo nos cofres do Fluminense. Com dificuldade de receber em dia a verba de seus parceiros, o clube está com o pagamento do direito de imagem de alguns jogadores atrasado. Peter Siemsen não relaciona o débito ao mau momento da equipe.

“Existe um atraso no fluxo de caixa, os direitos de imagem estão atrasados. Quando estávamos lá em cima, também tinha esse atraso. No momento difícil, tudo vira problema”, disse. Patrocinador master, a Viton 44 tenta rescindir o contrato.

Você pode gostar