Por pedro.logato

Rio - Com uma semana livre pela frente até o compromisso com o São Paulo, na próxima quarta-feira, no Maracanã, o técnico Eduardo Baptista prevê dias de muito trabalho nas Laranjeiras. A condição de semifinalista da Copa do Brasil não diminuiu a ambição da equipe no Brasileiro. Mais perto da zona de rebaixamento do que do G-4, o Tricolor, 12º colocado, com 37 pontos, voltou a ligar o sinal de alerta após a derrota de 3 a 1 para o Santos. Apesar dos cinco desfalques, a equipe apresentou problemas que pareciam sanados.

Fluminense terá tempo para realizar treinamentoDivulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Com pouco mais de três semanas à frente do Fluminense, o técnico comemora a rara brecha no calendário e pretende explorar ideias que dependiam de tempo e de ajustes. É o caso do teste de Gerson como volante e de Robert como opção na criação. O sistema defensivo receberá atenção especial após as falhas cometidas na Vila Belmiro.

“Esse descanso é muito importante. Poderemos fazer mais treinos táticos, buscar variações de jogadas. Vamos tentar repetir o desempenho que tivemos contra o Grêmio, pela Copa do Brasil. Ainda temos muito a melhorar”, disse Baptista.

O tempo será de trabalho e de recuperação. O desgaste físico de peças-chave no esquema tricolor foram apontados pelo ainda então técnico Enderson Moreira. Pierre, Jean, Cícero, Gustavo Scarpa e Marcos estão entre as ‘vítimas’ da maratona tricolor. No limite, Gustavo Scarpa e Marcos Junior terão tempo para recuperar o fôlego.

Em fase final de recuperação de lesão muscular, Wellington Silva volta a ser opção contra o São Paulo. O problema continua na lateral esquerda. Sem Léo Pelé, Baptista tem Breno Lopes, Ayrton e Victor Oliveira são principais alternativas para a posição.

Você pode gostar