Marcos Junior sai de promessa a realidade

Atacante destaca seu ótimo momento no Flu e agradece a Enderson

Por O Dia

Rio - Em seu terceiro ano como profissional, Marcos Junior deixa o rótulo de ‘eterna’ promessa para trás. Aos 22 anos, o atacante é uma realidade no processo de reformulação do Fluminense. A velocidade foi o trunfo para reconquistar o espaço perdido. No entanto, a mudança mais significativa foi na cabeça. Mais maduro e focado, ele resolveu abraçar a segunda chance dada pelo Tricolor. A constante inclusão de seu nome na lista de empréstimos faz parte do passado. Segundo o jogador, a gratidão ao então técnico Enderson Moreira será eterna.

“Acho que trabalhei minha cabeça. No Vitória, ano passado, já estava com essa mentalidade de voltar e conquistar meu espaço no Fluminense.Enderson acreditou e me deu a oportunidade. Teve um dia em que me chamou no canto e e disse que eu precisava de sequência e confiança. A partir daí, comecei a jogar bem e tenho que agradecê-lo”, disse o atacante tricolor.

Marcos Junior vive ano de afirmação no FluminenseDivulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Marcos Junior colhe os frutos de seu trabalho. Depois de aparecer como sensação no Carioca de 2012, ele comemora sua afirmação três anos depois. Em 2015, bateu seu recorde de partidas (28) e de gols (cinco) pelo Tricolor. Em sintonia com outros colegas de Xerém, casos de Marlon, Gerson e Gustavo Scarpa, não se considera o dono da posição.

“Eu acho que ninguém pode botar na cabeça que é titular absoluto. Ninguém tem cadeira cativa no Fluminense. É preciso treinar com dedicação todo dia, mostrar seu valor. Acredito que minha avaliação nesta temporada esteja sendo excelente”, analisou Marcos Junior.

Com o Tricolor dividido entre o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, na qual é semifinalista, Marcos Junior cobra maior atenção na primeira competição. Em 12º lugar, com 37 pontos, a equipe se mantém em alerta. Como a proximidade da zona de rebaixamento ainda incomoda, o São Paulo, adversário, de amanhã, às 22h, no Maracanã, tem a prioridade.

“É uma coisa de cada vez. O Fluminense tem que focar nas duas competições, mas temos o São Paulo pela frente. Depois pensamos na Copa do Brasil”, afirmou o atacante.

WELLINGTON SILVA SERÁ DESFALQUE

Não será contra o São Paulo que Eduardo Baptista contará com a força máxima do Fluminense. Wellington Silva voltou a sentir um incômodo na coxa esquerda e desfalcará a equipe pela quarta partida seguida. Também sentindo dores na coxa esquerda, Pierre deixou a atividade mais cedo e é dúvida.

Sem perder tempo, o treinador testou opções. Apoiador de origem, Higor treinou na lateral direita. Em baixa, Renato, especialista na posição, trabalhou entre os reservas. De volta, Cícero treinou ao lado de Jean à frente da zaga. Apesar das pistas, Eduardo Baptista escalou diferentes formações no meio de campo e não confirmou o time.

O treino tático nas Laranjeiras terminou com a seguinte formação: Higor, Gum, Artur e Breno Lopes; Jean, Cícero, Scarpa e Vinícius; Gerson e Fred.