Dirigentes do Fluminense levam gancho por ofensas a árbitro na Copa do Brasil

Peter Siemsen e Mário Bittencourt foram suspensos por 60 dias e terão de pagar multa de R$ 10 mil cada

Por O Dia

Rio - A maré não anda boa no Fluminense. Após a eliminação na Copa do Brasil, Peter Siemsen e Mário Bittencourt foram julgados no STJD e punidos com 60 dias de suspensão e multa de R$ 10 mil cada. As acusações eram por conta das declarações dadas após a primeira partida da semifinal da competição contra o Palmeiras.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Insatisfeitos com o pênalti marcado a favor do Palmeiras, os dirigentes reclamaram de forma contundente contra o árbtiro. Peter, presidente tricolor, chegou a dizer que o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sério Corrêa, deveria renunciar ao cargo.

Peter Siemsen foi suspenso por 60 diasCarlos Moraes

Mário Bittencourt, vice-presidente de futebol do clube, teria ofendido o árbitro Leandro Pedro Vuaden enquanto caminhava em direção ao vestiário, após a partida.

"No que ingressávamos no vestiário, identificamos o senhor Mário Bittencourt, vice-presidente de futebol do Fluminense Football Club, que proferiu as seguinte palavras: "Safado, ladrão, filho da p.., pode colocar na súmula, você veio f... o Fluminense.", O mesmo foi contido pelo policiamento", registrou Vuaden na súmula.

Além dos dirigentes, o auxiliar técnico Pedro Faria Gama foi suspenso por uma partida por jogar o boné no chão 'de forma ríspida' ao protestar contra um impedimento marcado para o Fluminense.