Eduardo Baptista tenta justificar a confiança no Fluminense em 2016

Treinador foi mantido mesmo com o pior aproveitamento dos técnicos tricolores no ano passado

Por O Dia

Rio - Eduardo Baptista inicia o ano cercado de expectativa. Com o pior aproveitamento entre os técnicos que dirigiram o Fluminense em 2015 (37,5%), ele tem o desafio de elevar o nível de competitividade da equipe após uma temporada marcada pela condição de lanterna do returno do Brasileiro. Com contrato até dezembro e um plano de carreira traçado à frente do Tricolor, o treinador tem carta branca para montar o planejamento desde a pré-temporada.

Os reforços contratados foram indicados ou aprovados pelo comandante. Com um plano de jogo em mente, ele considerou apenas os nomes que se encaixem no modelo que pretende aprimorar à frente do Fluminense. Henrique, ex-Napoli, e Diego Souza, ex-Sport, chegam para dar sustentação à equipe que sofreu com a falta de experiência e peças de reposição ao longo do ano.

Eduardo Baptista conta com a confiança da diretoria do FluminenseDivulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Antecessores de Baptista, Cristóvão Borges, Ricardo Drubscky e Enderson Moreira não resistiram aos resultados e cobranças sobre o elenco em ‘transformação’. O fim da parceria com a Unimed-Rio culminou a saída de craques do quilate de Conca, Wagner e Rafael Sobis.

A debandada dos medalhões abriu caminho para a garotada de Xerém, que teve Gustavo Scarpa como principal destaque. No entanto, a a esperada oscilação de promessas como Marlon, Gerson, Robert, Marcos Junior e do próprio Scarpa, aconteceu. Sob pressão, a garotada ajudou a equipe a chegar à semifinal da Copa do Brasil. Na opinião de Fred faltou ‘bagagem’. Ciente de que a pressão não diminuirá em 2016, Baptista assume a responsabilidade de melhorar e muito os números do Fluminense.

Destino de Jean continua indefinido

O interesse do Cruzeiro na contratação de Jean ainda não foi concretizado. A exemplo do Palmeiras, o clube mineiro desistiu do negócio e pode ter aberto caminho para o Atlético-MG. Como a pedida tricolor foi considerada alta, os clubes têm oferecido jogadores em troca.

Os nomes propostos, porém, não agradaram. Se nenhuma negociação avançar, Jean poderá se juntar ao grupo nos Estados Unidos.