Diego Souza revela seus objetivos na volta ao Fluminense: 'Títulos e Seleção'

Apoiador, de 30 anos, foi apresentado nas Laranjeiras

Por O Dia

Rio - Mais de dez anos após deixar o Fluminense, contratado pelo Benfica, Diego Souza está de volta ao clube. O apoiador, que atuou como titular nos jogos da Florida Cup, foi apresentado oficialmente pelo clube carioca nas Laranjeiras, nesta terça-feira. Com o status de maior contratação do Tricolor nesta temporada, o meia que era volante, quando deixou o Flu, falou sobre o que mudou a sua vida no período longe das Laranjeiras.

"Era muito novo quando saí do Fluminense. Era apenas uma promessa. Depois de 10 anos, voltei com responsabilidade maior. Estou mais experiente, estou muito feliz. Espero corresponder.", afirmou o apoiador de 30 anos.

Diego Souza foi apresentado pelo FluminenseNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

Diego Souza vai usar a camisa 10 do Fluminense. Mesmo sem um patrocinador master garantido para a temporada, o Tricolor fez grandes investimentos. Ciente disso, o meia sabe da responsabilidade de buscar títulos e até quem sabe vestir a "Amarelinha" neste ano.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

"Não adianta chegar ao Rio e não estar focado no trabalho. Acabar um Brasileiro em 12º... Tenho um projeto, sei do meu potencial. Estou com 30 anos e posso ter visibilidade. Penso em Seleção... Por qual motivo não posso?", revelou.

No Fluminense, Diego Souza reencontrou Eduardo Baptista, treinador que o levou para o Sport. Segundo o jogador isso pode facilitar ainda mais a sua readaptação ao Tricolor.

"Eduardo me conhece bem, trabalhei quase um ano e meio com ele. Gosto da responsabilidade, sei dela e espero corresponder. Voltei ao Fluminense pelo carinho que tenho. Sou grato ao clube. O projeto é ótimo, vamos brigar por tudo o que disputar. Sou um cara que gosto de desafios novos.", disse.

Logo após deixar o Fluminense, Diego Souza foi emprestado pelo Benfica ao Flamengo. O Rubro-Negro foi tema da coletiva, mas não por este acontecimento, mas por uma polêmica envolvendo o Sport, o seu último clube.

"Não tenho problema nenhum com o Flamengo. É meu adversário como qualquer outro time. A partir do momento que entrar em campo, entra para matar. No Sport, ganhei de presidente a camisa 87. Não foi escolha minha. Foi um título importante. Fiquei feliz de vestir a camisa. Se tem rivalidade, não tenho nada a ver com isso.", concluiu.