Por fabio.klotz

Rio - Mesmo com a conquista da Primeira Liga, em menos de um mês e meio no comando do Fluminense, Levir Culpi ainda não está totalmente satisfeito com seus comandados. Tendo a sinceridade como seu cartão de visitas, o treinador afirma que faltam posse de bola e um conjunto mais encorpado para a equipe chegar naquilo que ele considera ideal.

Levir Culpi mantém seriedade e projeta mais evolução do FluminenseNelson Perez / Fluminense F.C. / Divulgação

Para chegar ao resultado que tanto deseja, Levir não deve fazer nenhuma loucura na escalação para o clássico com o Botafogo, neste domingo, em Volta Redonda. A única duvida é o lateral-direito Jonathan, que vem se recuperando de dores na coxa esquerda e treinou com bola nesta sexta, sem problemas.

“Nos dois últimos jogos não tivemos a maior posse de bola. Sinal de que não temos ainda o poder que queremos ter. No Atlético Mineiro era raro o meu time ter menos posse. Aqui estamos com alternância porque ainda não temos uma estrutura tão sólida. Tem coisa a melhorar ainda”, afirmou o treinador.

Levir também mostrou que confia em um jogador que até pouco tempo era carta fora do baralho. Fred foi garantido pelo treinador, que também não está abalado pela fase ruim do atacante, que não marca desde o dia 11 de fevereiro.

“O Fred vai começar a partida porque é o titular. Todo mundo gostaria de ter um cara da qualidade dele. Vai começar, difícil saber se vai terminar. Minha preocupação com o Fred é com o ritmo, pois ele não vinha jogando. Mas ele vai começar, isso não tem a menor dúvida”, disse.

Gum não quer acomodação

Por ter feito a segunda melhor campanha na Taça Guanabara, o Fluminense joga com a vantagem do empate para avançar à decisão do Carioca. Mas Gum não quer saber de acomodação. Ele fez questão de lembrar o último duelo contra o Vasco, quando a equipe desperdiçou a vantagem e não ficou com o título da Taça Guanabara.

“O time poderia ter levado o título contra o Vasco. É diferente, porque estaremos completos. Não poderemos jogar pelo empate, mas, sim, para vencer. No fim do jogo, se o empate permanecer, o regulamento pode ajudar. Mas, se jogar pensando no empate o jogo todo, corremos o risco de perder”, destacou.

Você pode gostar