Fluminense só pensa no G-4

Time nunca venceu a Chapecoense e quer mudar história na Arena Condá

Por O Dia

Santa Catarina - Levir Culpi aposta na manutenção da equipe para acabar com a freguesia do Fluminense contra a Chapecoense. O Tricolor, que nunca venceu o time catarinense, pode entrar no G-4 do Campeonato Brasileiro se conseguir a vitória na Arena Condá.

O treinador mandará a campo os mesmos 11 jogadores que iniciaram contra o Atlético-MG na rodada anterior. A ideia é fazer com que a equipe crie uma identidade e uma maneira própria de atuar com a dupla de ataque Fred e Richarlison, formada recentemente.

“Ninguém começa e termina com a mesma escalação, o campeonato é muito longo. Todos os times vão sofrer. Os que não têm um elenco grande, sofrem mais. No início ainda dá para controlar. Espero um jogo com um alto grau de competitividade contra a Chapecoense”, disse Levir.

Fluminense busca mais uma vitória no BrasileirãoMailson Santana / Fluminense F.C. / Divulgação

Apesar de recente, o duelo com o time de Chapecó não traz boas lembranças para os tricolores. Em cinco partidas, foram quatro derrotas e um empate. Porém, desta vez, o Flu terá uma arma secreta que conhece muito bem o adversário. Regularizado, o meia-atacante Maranhão será relacionado pela primeira vez e poderá estrear contra o ex-clube

O reforço tem agradado Levir Culpi nos treinamentos e a tendência é que ele participe da partida na segunda etapa.

“O Maranhão tem ótima qualidade técnica, mas ainda não está entrosado com o elenco e com nossa forma de jogar. Com a facilidade que tem, rapidamente vai se adaptar. Já pode participar deste jogo, se for possível. É um ótimo jogador”, elogiou o treinador.

O time das Laranjeiras precisa dos três pontos para terminar o sábado no G-4. Com a vitória, a equipe chegaria à meta traçada pelo comandante de fazer, ao menos, quatro pontos nas duas partidas fora de casa que teve em sequência.

Casa no Brasileiro

A diretoria do Fluminense corre contra o tempo para encerrar as obras de melhoria e regularizar a situação do Estádio Giulite Coutinho, em Edson Passos, para não precisar mais jogar fora do Rio suas partidas como mandante no Brasileirão. A expectativa é que o jogo contra o Santos, dia 22, pela 10ª rodada seja disputado no local.

Apesar da capacidade liberada pelos bombeiros ser menor do que os 15 mil torcedores exigidos pelo regulamento da CBF, o Tricolor contará com a boa vontade da entidade, tendo em vista que Maracanã e Engenhão estão cedidos para a Olimpíada. O contrato de parceria com o América, dono do estádio, irá durar até o fim do Carioca de 2017.