Cícero assume responsabilidade no Flu e afirma que crise do clube é 'exagerada'

Apoiador tricolor ainda lamentou a lesão de Gustavo Scarpa

Por O Dia

Rio - Um dos jogadores mais experientes do elenco do Fluminense, Cícero teve a oportunidade de dar a vitória ao time carioca no duelo de quarta-feira contra o Ypiranga. O jogador cobrou mal o pênalti e o Tricolor ficou no empate. Não foi a primeira vez que o apoiador jogou fora uma penalidade. Em entrevista coletiva, o meia rebateu as críticas e falou sobre o seu papel na equipe das Laranjeiras.

"Só faz quem bate e só perde quem bate. Alguém tem que bater. É uma responsabilidade grande. A bola tá ali, o gol tá ali. Comigo não tem problema, se tiver que bater de novo, eu bato. A ordem é do Levir, se ele determinar que outro tem que bater, não tem problema. O mais importante é o Fluminense e o resultado da equipe. Eu sempre assumi, bati vários pênaltis, até em final de Libertadores. Aconteceu isso aí agora", afirmou.

Cícero concedeu entrevista coletivaNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

O Fluminense não vive um bom momento na temporada. Com apenas uma vitória nos últimos seis jogos, a equipe das Laranjeiras vem recebendo críticas dos torcedores, com direito a dois protestos na sede da equipe carioca. Apesar disso, Cícero não acredita que a fase do Tricolor seja tão exagerada.

"Implantaram uma crise meio exagerada. A gente não vem de cinco derrotas seguidas. Lógico que dá para melhorar, a cobrança é grande. Para sair disso, o time tem que estar junto. Eu estou no clube desde 2007, minha terceira passagem, sei como funciona aqui. O clima está tranquilo, estamos fazendo nosso trabalho. Estamos no meio da tabela no Brasileiro. Se encaixarmos duas ou três vitórias, a gente dá um salto na tabela", disse.

O meia ainda comentou sobre a lesão de Gustavo Scarpa. Com um estiramento no ligamento colateral medial do joelho direito, o jogador ficará fora dos gramados por até três semanas. Cícero lamentou a ausência do companheiro de equipe.

"Quanto mais machuca jogador, pior para gente que perdemos peças. O treinador não pode contar. O pessoal tem treinado bem, e quem está no Fluminense é porque tem qualidade. Lógico que o Scarpa é fundamental para gente, mas a gente tem que se juntar. Quem entrar no lugar dele vai dar o melhor", concluiu.