Com força máxima, Fluminense aposta no bom momento para derrotar o líder

Tricolor conseguiu três vitórias nas últimas quatro partidas

Por O Dia

Rio - Para prolongar o bom momento no Brasileirão, a receita de Levir Culpi é a mantutenção do time. Por isso, para encarar o líder Palmeiras, em Brasília, o comandante não faz a mínima questão de criar mistério. Cícero e Marcos Junior, que cumpriram suspensão contra o Santa Cruz, voltam à equipe titular e o Fluminense irá a campo com força máxima.

O lateral-direito Wellington Silva, que era dúvida por conta de uma entorse no tornozelo direito, também está liberado para jogar. O fato de poder escalar o que tem de melhor deixa Levir otimista.

Cícero está de volta ao time titular do FluminenseNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

“É bom manter uma base, continuo com esse pensamento. É o mais lógico, não que seja uma certeza. No Brasil às vezes fazemos umas mudanças radicais que dão resultado. Mas é muito mais coerente repetir uma formação, conhecer os atletas, o máximo de tempo possível. Antigamente todos conheciam a escalação das equipes porque havia continuidade. Eu acredito nisso”, disse o técnico.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Sem perder há quatro rodadas, o Fluminense conseguiu dar uma boa escalada durate o período olímpico e está a apenas seis pontos do G4, sendo que tem uma partida a menos — contra o Figueirense, em Edson Passos.

Apesar da boa fase e da subida na tabela, o comandante tricolor ainda lamrenta po ntos que escaparam e que poderiam ter deixado o time das Laranjeiras em melhor situação no Brasileirão.

“Nosso objetivo é estar entre os quatro primeiros. Não é nada anormal. Perdemos quatro pontos em problemas de arbitragem, contra Santa Cruz e Internacional. Não fosse isso, já poderíamos estar no G-4. Os números são frios. Não existem nenhum time muito firme lá em cima. Os que são mais regulares vão chegar”, analisou.

Scarpa consegue passaporte europeu

A torcida tricolor está em alerta com relação a uma possível transferência de Gustavo Scarpa. O jogador, que em junho viajou a Itália para tirar o passaporte europeu, recebeu o documento nesta sexta-feira e pode atuar em qualquer time do Velho Continente sem ocupar vaga de estrangeiro.

A diretoria mantém o discurso de que o meia só será vendido caso o time das Laranjeiras recebe uma proposta irrecusável. O clube detém 45% dos direitos de Scarpa, revelado na base, em Xerém.
Realista, Levir Culpi sabe que pode perder um dos seus principais articuladores a qualquer momento.

“É uma situação que fica sempre em aberto, virou moda. O próprio Fluminense viveu isso. Marlon e Gerson praticamente não jogaram comigo e já foram embora. É uma situação que temos de enfrentar no dia a a dia. Pode acontecer. Faz parte do negócio”, reconheceu o treinador, que comanda o última atividade visando o duelo com o Palmeiras na tarde de hoje.