Rotatividade na zaga não resolve problema crônico do Fluminense

Renato Chaves, Reginaldo, Henrique e Nogueira não inspiram confiança

Por O Dia

Rio - Não é de hoje que a defesa tricolor dá dor de cabeça e nem mesmo a troca constante de peças tem resolvido o problema. Com Renato Chaves de volta, o Fluminense reeditou a dupla de zaga titular no início do ano, mas a dificuldade em não ter o gol vazado continua.

Henrique sentiu dores no treinoNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

Recuperado de uma cirurgia no tornozelo direito, Renato Chaves voltou a ser titular após quase 80 dias. Antes de ser operado no fim de maio, o zagueiro havia sido barrado após sequência de atuações ruins. Desde que enfrentou o Grêmio pela Copa do Brasil (derrota por 3 a 1 em Porto Alegre), foram 18 jogos do Tricolor, com cinco duplas de zaga diferentes. Henrique só não foi titular uma vez, quando estava suspenso — Reginaldo e Nogueira jogaram.

Primeiro a ganhar uma chance, Nogueira foi titular três vezes até perder a vaga para Reginaldo. O zagueiro de 24 anos conseguiu boas atuações e se firmou em 12 partidas, mas uma lesão muscular o fez sair do time. Foi a vez de o jovem Frazan jogar três vezes, até Renato Chaves voltar a ser aproveitado como titular contra o Sport.

Antes, o zagueiro só havia jogado alguns minutos contra a Universidad Católica-EQU. Por isso, espera por uma sequência para recuperar o ritmo ideal. “Foram dois meses parado, com uma cirurgia grave. Eu me senti bem, sem dor, nem cãibra, o que geralmente acontece no fim de jogo. Preciso de uma sequência para estar 100%”, disse Renato Chaves.

COPA SUL-AMERICANA

O reencontro com a LDU terá o primeiro jogo no Rio e a decisão de quem passará pelas quartas de final será na altitude de Quito. As datas ainda não foram definidas.