Emocionado, Abel agradece as homenagens e dedica a vitória do Flu ao filho

Ainda muito abalado com a tragédia que se abateu sobre sua família, o treinador tricolor falou sobre a triste semana que viveu

Por O Dia

Rio - No primeiro jogo em casa após a trágica perda do filho João Pedro, Abel Braga foi alentado pelo carinho do torcedor do Fluminense. Antes, durante e depois do triunfo por 3 a 1 sobre o Atlético-GO, no último sábado, o treinador teve o nome gritado e viu faixas com mensagens de apoio espalhadas pelas arquibancadas do Maracanã. Emocionado, ele agradeceu as manifestações e dedicou o triunfo a João.

Abel Braga foi homenageado pela torcida do Fluminense%2C no último sábadoLUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

"Meu filho estava aqui, com os mesmos olhos azuis, irreverente como sempre foi. Não sei explicar a fundo aquilo que está se passando porque, até agora, não consegui entender o motivo. Mas fico me perguntando: será que ele teve que nos deixar, minha família, os amigos, para que um dos Braga transcendesse o futebol? Essa é a única razão que eu vejo. A família Braga é tão digna, tão correta, tão real e verdadeira que ela precisa passar um pouco dos limites do futebol", declarou.

Filho mais novo de Abel, João Pedro morreu no fim de semana passado ao cair da janela do apartamento da família no Rio. Desde então, o treinador tem recebido todo o tipo de apoio, inclusive de torcedores adversários. Mas foi a atitude de seus jogadores que recebeu elogios do comandante.

"Acabei de falar com meus jogadores, agradeci de coração a eles tudo o que se passou e aconteceu hoje, porque teve essa colaboração enorme deles, de poder oferecer essa vitória ao meu filho. Ele queria isso, essa transformação em uma semana, uma força que não sei de onde estou tirando, mas ele me fez ultrapassar o futebol", disse o treinador.

Ainda muito abalado com a tragédia, Abel falou sobre a triste semana que viveu. E em meio a agradecimentos a amigos e companheiros, falou sobre o apoio inesperado de dois colegas de profissão que o surpreenderam na missa de sétimo dia ao deixarem de lado a rivalidade entre os clubes do Rio para alentá-lo.

"A missa de sétimo dia foi algo espetacular. Pra não ser injusto, vou citar dois nomes em particular porque a presença desses caras lá fez com que aumentasse o meu número de amigos. Todos que estiveram presentes eu agradeço, mas esses dois quero ressaltar: Zé Ricardo, do Flamengo, e Jair Ventura, do Botafogo. Pra mim, aquilo começa a mostrar que nós podemos ser diferentes no futebol, mas podemos conviver. Quando jogo contra o Botafogo, quero ganhar do Botafogo e ele quer ganhar de mim. Quando jogo contra o Flamengo, quero ganhar do Zé Ricardo e ele quer ganhar de mim. Isso é no campo, mas as pessoas podem se entender", exaltou.