Dirigente admite situação delicada do Fluminense: 'Orçamento de Atlético-GO'

Em áudio vazado, vice de futebol falou sobre os problemas financeiros

Por O Dia

Rio - A situação do Fluminense é bastante complicada na temporada. A um pouco da zona de rebaixamento, o elenco enxuto do Tricolor começa receber uma pressão muito forte. O momento delicado deixa até mesmo os dirigentes preocupados. Em um áudio vazado de um grupo de WhatsApp, o vice de futebol do clube, Fernando Veiga, admite que o orçamento tricolor não condiz com tradição da equipe.

Fluminense vive momento delicadoNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

"Hoje a gente tem uma receita de time pequeno, de Atlético-GO. Nós somos um time enorme, somos um dos maiores times do mundo, mas temos receita, hoje, de time pequeno. Então como a gente contrata? Como que a gente reforça?", afirmou.

Veiga ainda fala da dificuldade de contratar jogadores, mesmo sem ser grandes destaques do futebol brasileiro. O dirigente reclama da inflação do mercado.

"Muita gente fala que temos que usar a criatividade. Eu acho isso engraçado usar a palavra criatividade no futebol. Como a gente usa a criatividade? A gente não tem dinheiro para pagar salário de R$ 20 mil. Há um mês a gente correu atrás de volante e zagueiros. E jogadores medianos pedindo R$ 200, 300 mil para jogar no Fluminense. Como a gente paga isso? A nossa receita é baixíssima e a despesa enorme. Foi feito um estudo agora com a Ernst & Young e eles querem que a gente corte o custo do futebol de uma maneira que eu não posso nem falar o percentual", disse.