Por fabio.klotz
Alison e Bruno Schmidt também vão representar o Brasil no RioDivulgação

Rio - Não faltam craques no vôlei de praia brasileiro capazes de ajudar o País na meta de conquistar o top 10 de medalhas nos Jogos do Rio: Alison/Bruno Schmidt e Pedro Solberg/Evandro estarão na briga pelo pódio em agosto, na Praia de Copacabana.

Pedro Solberg disputará a Olimpíada do Rio 32 anos depois de a mãe, Isabel, ícone do vôlei brasileiro, ter competido pela segunda vez nos Jogos, na quadra, em Los Angeles-1984 — ela também esteve em Moscou-1980.

Aos 29 anos, Pedro vibra com a chance de disputar sua primeira Olimpíada, após ficar fora de Pequim-2008 e Londres-2012. Ele e o parceiro, Evandro, foram escolhidos pela CBV, juntando-se a Alison e Bruno Schmidt, que já haviam garantido a classificação através da corrida olímpica.

Assim, eles superaram a disputa por uma vaga com os experientes Ricardo e Emanuel, campeões em Atenas-2004, que serão reservas.

Desafio é se manter no topo

Alison e Bruno Schmidt tiveram um ano especial em 2015. Campeões mundiais e do Circuito Mundial de vôlei de praia, eles garantiram vaga nos Jogos do Rio pela corrida olímpica.

Pedro Solberg e Evandro%3A mãos de ouro no vôlei de praia brasileiroDivulgação

No Rio, Alison disputará sua segunda Olimpíada - ele já tem uma medalha de prata, ao lado de Emanuel, em Londres-2012. Sobrinho de Oscar Schmidt, ídolo do basquete brasileiro, Bruno fará sua estreia numa Olimpíada vinte anos depois de o tio ter anunciado sua despedida da Seleção em Atlanta-1996.

A dupla, que conta com o acompanhamento da psicóloga Sâmia Hallage, teve o auge com a conquista do Mundial, em julho, na Holanda. Na final, eles venceram os donos da casa Nummerdor e Varenhorst.

Até a consagração, eles tiveram momentos complicados. Alison ficou cinco meses afastado das quadras, por conta de cirurgias no joelho direito e para a retirada do apêndice.

Você pode gostar