Por pedro.logato

Rio -  A crise financeira também abalou os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. O Comitê Organizador Rio 2016 anunciou ontem corte de 20 mil vagas para voluntários — que passam de 70 mil para 50 mil —, a redução de cinco mil para quatro mil veículos na frota da organização e a desistência de construir uma arquibancada móvel flutuante no Estádio de Remo, na Lagoa Rodrigo de Freitas, que vai receber as competições de remo e canoagem.

Os cortes estruturais foram realizados após mais de quatro meses de ajustes econômicos para sair do vermelho e evitar futuros prejuízos ao evento. Segundo Mario Andrada, diretor executivo de Comunicação do órgão, as medidas, anunciadas ontem durante encontro com jornalistas em São Paulo, vão equilibrar o orçamento.


Estádio de Remo da Lagoa não terá mais a arquibancada flutuante Divulgação

Também para baratear a operação, o Comitê Rio 2016 adiou em dois meses a entrada como administrador da Vila de Atletas, de janeiro para março. Com isso, neste período o custo operacional do espaço continua a cargo da construtora. Estruturas físicas também serão integradas para que vários setores ocupem o mesmo espaço, e não salas separadas — a exceção é a área de doping, que terá a privacidade mantida.

LEIA MAIS: Rio 2016 coloca mais 500 mil ingressos à venda a partir desta quinta-feira

Os números não foram oficializados, mas o Comitê Rio 2016 trabalha com orçamento de cerca de R$ 7,4 bilhões para a organização do evento. Não há uso de dinheiro público, apenas verba captada com patrocinadores e COI (Comitê Olímpico Internacional).

O corte da arquibancada móvel no Estádio de Remo da Lagoa une o últil ao agradável. A estrutura flutuante teria capacidade para quatro mil lugares e foi colocada no projeto como atrativo para os fãs do remo e da canoagem velocidade, mas o custo envolvido, de pouco mais de R$ 2,5 milhões, tornou a ideia inviável, já que a responsabilidade da construção ficou a cargo do Comitê Rio 2016. O órgão ofereceu transferi-la à Federação Internacional de Remo, que não topou a proposta.

O assunto já era alvo de problemas antes mesmo de qualquer execução, já que o processo de liberação para a construção da arquibancada sobre o espelho d’água da Lagoa foi probido pela Justiça Federal. A ação foi proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), que questionou a demora na definição. O conjunto paisagístico e o espelho d’água são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O local também é considerado Área de Preservação Permanente, de acordo com a Lei Orgânica do Município.

Esquema de segurança reforçado a 200 dias da Rio 2016

A 200 dias da cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016 — que vão reunir cerca de 15 mil atletas, representando 206 países, e mais de um milhão de turistas —, o Ministério da Justiça fez um balanço das ações para garantir a segurança do evento. Ao todo, estão sendo investidos R$ 350 milhões, incluindo aquisição de equipamentos de proteção individual, ferramentas de treinamento, ações antiterrorismo, capacitação de policiais, bombeiros e guardas municipais, ampliação do sistema de monitoramento e aprimoramento de comando e controle.

“Não podemos pensar em realizar os Jogos se a cidade como um todo não tiver segurança", diz Andrei Rodrigues, secretário Extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça e responsável pelo planejamento de segurança dos Jogos Rio 2016.

O esquema vai envolver mais de 85 mil profissionais – sendo 47 mil de segurança pública, defesa civil e ordenamento urbano, e 38 mil das Forças Armadas — nos meses de agosto e setembro. A Polícia Federal terá 3,5 mil servidores, um acréscimo de 350% em relação à Copa do Mundo 2014. Cerca de 9,6 mil profissionais da Força Nacional atuarão para garantir a segurança do público nas instalações. A Polícia Rodoviária Federal contará com 2 mil profissionais, que atuarão em ações de educação e fiscalização de trânsito e na prevenção e repressão de ações criminosas.

Mais 500 mil ingressos à venda

Quem ainda não conseguiu ingressos para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro tem uma nova chance de garantir seu lugar. O Comitê Organizador Rio 2016 colocará à venda mais 500 mil entradas a partir das 10h de amanhã. Entre os eventos que terão mais bilhetes estão as cerimônias de abertura e encerramento, jogos de futebol masculino e feminino (no Rio de Janeiro e demais cidades-sede), natação e atletismo, entre eles, a final dos 100 metros rasos, com enormes chances de ver o jamaicano Usain Bolt em ação.

Na sexta-feira, entram em comercialização ingressos para basquete e handebol feminino e masculino, além de tênis, judô, ginástica, vôlei e vôlei de praia. Ao contrário de fases anteriores da venda de ingressos, em que era preciso um cadastro e a compra ocorria por meio de sorteio, desta vez basta entrar no site, escolher o evento e efetuar a compra direta. “Esta é a última grande liberação de ingressos que faremos. Ótima chance para quem não conseguiu comprar antes”, alertou Donovan Ferreti, diretor de ingressos da Rio 2016.

Ainda não há um número oficial sobre a venda de ingressos para os Jogos Olímpicos (com início em 5 de agosto) e Paralímpicos (abertura em 7 de setembro). Mario Andrada, diretor executivo de Cominicação do Rio 2016, disse ontem apenas que 74% da receita do evento com ingressos já foram alcançadas.


Você pode gostar