Seleção feminina de handebol chega aos Jogos do Rio como grande favorita

Campeãs do Mundo em 2013, meninas buscam a medalha de ouro

Por O Dia

Rio - O sonho do bicampeonato mundial foi adiado, mas a medalha olímpica no Rio ainda é uma certeza para a equipe feminina de handebol. A melhor geração da história do esporte no País colocou o Brasil entre os principais times do planeta e, jogando em casa, é favorita absoluta ao ouro em 2016.

Sob o comando do dinamarquês Morten Soubak, a seleção conquistou o inédito mundial em 2013, na Sérvia. Ano passado, na Dinamarca, caiu para a Romênia.

Para brigar pelo primeira medalha olímpica do Brasil na modalidade, o time conta com o talento das jogadoras Alexandra ‘Alê’ Nascimento (ponta direita) e Duda Amorim, (armadora) eleitas as melhores do mundo em 2012 e 2014, respectivamente.

Meninas do Brasil chegam com favoritismo Efe

O time fica completo com as goleiras Babi e Maysa, as armadoras Deonise, Bruna e Amanda, as centrais Ana Paula e Fran, as pontas Célia, Fernanda, Larissa e Jéssica, e as pivôs Dani, Dara e Tamires. Nos Jogos de Londres, em 2012, a Seleção ficou com a sexta posição.

Brasil, Noruega, Angola, Argentina, Coreia do Sul e Espanha já estão garantidos. Restam seis vagas. Todas serão preenchidas com os dois melhores de cada um dos três Pré-Olímpicos internacionais, de 18 a 20 de março, na França, Dinamarca e Rússia.

Os 12 participantes dos torneios pré-olímpicos são as seis seleções mais bem posicionadas no Campeonato Mundial, além de seis países provenientes das competições continentais.<IL> Dos grandes favoritos ao ouro, Brasil, Espanha e Dinamarca já estão garantidos nos Jogos Olímpicos.

As outras principais potencias do esporte, como Suécia, Sérvia e Hungria, ainda lutam para conquistar seu lugar no Rio de Janeiro.

MENINOS NÃO ESTÃO ENTRE OS FAVORITOS

País-sede e campeão pan-americano em Toronto (Canadá), no ano passado, o Brasil já está garantido no torneio masculino de handebol, ao lado da França (campeã mundial 2015), Argentina (vice dos Jogos Pan-Americanos 2015) e Catar (campeão asiático).

Duas vagas serão decididas no Campeonato Africano e no Campeonato Europeu, ambos em janeiro. As outras seis vagas serão preenchidas de 18 a 20 de março, em três Pré-Olímpicos internacionais.

Apesar do título Pan-Americano, a seleção brasileira masculina de handebol não aparece como uma das favoritas ao ouro olímpico. Por jogar em casa e contar com o apoio da torcida, a equipe pode até surpreender.

O técnico, como no feminino, é estrangeiro: o espanhol Jordi Ribera. Entre os principais jogadores estão o goleiro Maik Santos, o central Diogo Hubner, o armador Thiagus Petrus, o pivô Tchê e o ponta Alemão.

Últimas de _legado_Olimpíada