Por pedro.logato

Rio - Ocupando uma área de 1,18 milhão de metros quadrados, o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, será o principal palco das competições, abrigando 16 modalidades olímpicas e nove paralímpicas. Mas o melhor de tudo é que, após os Jogos, o espaço será destinado à população. Seu boulevard e área de lazer serão abertos ao público, enquanto a Arena do Futuro, onde serão disputadas as competições de handebol e golbol, será totalmente desmontada e transformada em quatro escolas municipais em diferentes localidades. Já o Estádio Aquático se transformará em dois ginásios, que serão instalados em áreas onde hoje não há opção para práticas de esporte.

Mas o legado esportivo mais significativo que os Jogos Olímpicos deixarão para o Rio — e para o Brasil também — é o Centro Olímpico de Treinamento. Instalações como a HSBC Arena serão destinadas ao treinamento de atletas de ponta, garantindo também o futuro do esporte nacional.

O Parque Olímpico tem uma área total de 1%2C18 milhão de metros quadrados e vai abrigar 16 modalidades durante os JogosDivulgação

O espaço será transformado em amplo complexo esportivo e educacional, com uso compartilhado por projetos sociais e eventos. Estudantes da rede municipal e atletas de alto rendimento serão parceiros na utilização das instalações.

O uso compartilhado com o esporte de alto rendimento é uma ideia nascida no Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que será responsável também por tocar esta parceria.
Além de servir ao treinamento de atletas de ponta, algumas instalações poderão abrigar competições esportivas internacionais.

Das nove instalações que compõem o Parque Olímpico, sete serão mantidas pós-2016: Arenas Cariocas 1, 2 e 3, Parque Aquático Maria Lenk, Arena Rio, Velódromo e Centro de Tênis. A estas, serão acrescentadas, depois dos Jogos, uma pista de atletismo também de padrão olímpico e duas quadras de vôlei de praia, além de um alojamento para atletas de alto rendimento e de base.

NOVOS CAMPEÕES NO TÊNIS

A utilização de longo prazo do Centro Olímpico de Treinamento será garantida por meio de recursos provenientes do empreendimento comercial vizinho, que durante os Jogos Rio 2016 abrigará o Centro Internacional de Radiodifusão, o Centro Principal de Imprensa e um hotel.
Já o novo Centro Olímpico de Tênis ajudará o País a desenvolver projetos que ajudarão na formação de novo atletas. A ideia é ajudar na criação de um novo ídolo para o esporte, tendo como inspiração a trajetória de Gustavo Kuerten, o Guga.

Um estádio de tênis com capacidade para 10 mil torcedores será construído no Parque Olímpico da Barra e ficará de legado para a cidade após os Jogos. O Centro Olímpico de Tênis contará ainda com mais sete quadras, duas arenas temporárias, uma para 5 mil e outra para 3 mil pessoas, e seis quadras de aquecimento.

Você pode gostar