Sidão é cortado da Seleção de vôlei e fica fora da disputa da Olimpíada do Rio

Com uma lesão no ombro, central não joga uma partida oficial há mais de um ano e está fora da equipe de Bernardinho

Por O Dia

A seleção brasileira masculina de vôlei tem o seu primeiro desfalque de peso para os Jogos Olímpicos do Rio. O central Sidão, que se recuperava de uma lesão no ombro, foi cortado da equipe pelo técnico Bernardinho e nem viaja para a segunda semana da Liga Mundial, quando o Brasil joga na Sérvia.

Jogador do Sesi, Sidão não joga uma partida oficial há mais de um ano. As dores no ombro o incomodavam desde o fim da Superliga 2014/2015, os médicos inicialmente optaram por um tratamento conservador, mas em novembro optou-se pela cirurgia.

Central foi cortado antes da viagem da equipe para a sequência na Liga MundialDivulgação / CBV

Mesmo distante das quadras, Bernardinho decidiu convocar o veterano de 32 anos para a equipe que iniciou a preparação para os Jogos do Rio. O central, afinal, foi titular do time durante longo período, participando ativamente do título mundial de 2010, do vice de 2014 e da prata olímpica em 2012.

Sidão chegou a participar de amistosos de preparação, mas não foi inscrito para a primeira semana da Liga Mundial. Nesta segunda, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) informou que ele não viaja com a equipe para a Sérvia, logo mais, e está cortado do elenco.

Bernardinho passa a trabalhar com 15 atletas, podendo inscrever 14 em cada rodada da Liga Mundial - Maurício Borges foi o outro preterido no Rio. Na Olimpíada, o grupo terá apenas 12 jogadores

A principal dúvida é no meio de rede. Isac, Eder e Maurício Souza disputam dois lugares no elenco junto com o intocável Lucão. Na ponta, Maurício Borges é o favorito a ser cortado. Bernardinho também precisa tirar um líbero do elenco até a Olimpíada. Ao que tudo indica, Serginho fica e Tiago Brendle será liberado.

Últimas de _legado_Olimpíada