Walace quer 'entrar para a história' com ouro olímpico inédito no futebol

Jovem volante do Grêmio fez parte do grupo que disputou a Copa América e terá nova chance na seleção no Rio-2016

Por O Dia

Teresópolis - O volante Walace foi mais um nesta quarta-feira ao destacar o caráter histórico de uma possível conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, único grande título que falta para o Brasil no futebol.

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

"É um título inédito para nós, e acredito que, se a gente vencer, vai entrar para a história da seleção", declarou o jogador do Grêmio em entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis, região serrana do Rio.

Walace quer entrar para história e ajudar o Brasil a conquistar o ouro no Rio-2016Lucas Figueiredo / MoWA Press / Divulgação

Walace, que foi um dos 23 integrantes do elenco da seleção na última Copa América, em que a equipe dirigida pelo técnico Dunga não passou da primeira fase, minimizou a importância da abordagem ofensiva e arriscada da equipe olímpica. Rogério Micale chegou a escalar até quatro atacantes durante a preparação.

"Micale dá liberdade aos atacantes, mas nos diz que temos de atacar com 11 e defender com 11", destacou.

Questionado sobre o estado físico do goleiro Fernando Prass, que ficará fora do amistoso contra o Japão no próximo sábado, em Goiânia, devido a um problema no cotovelo, o volante preferiu destacar a confiança que o grupo tem no reserva, Uilson.

A CBF comunicou hoje que Prass passou por exames e que, embora nenhuma lesão tenha sido diagnosticada, o goleiro não enfrentará os japoneses no Serra Dourada devido a uma pequena inflamação no cotovelo direito.

Últimas de _legado_Olimpíada