De olhos bem abertos para a medalha de ouro, seleção olímpica faz único teste

Brasil encara o Japão em 'esquenta' para a estreia na Rio-2016

Por O Dia

Goiânia - A Seleção que vai brigar pela inédita medalha de ouro do futebol nos Jogos Olímpicos viveu nesta sexta-feira um dia de definições. Mais do que a escolha dos 11 titulares que enfrentam o Japão, neste sábado, às 16h30, no Serra Dourada, no único amistoso antes da estreia no Grupo A - contra a África do Sul, quinta-feira, em Brasília -, o técnico Rogério Micale decidiu dar a Neymar a braçadeira de capitão. Mas, político, encheu a bola de outros jogadores.

Rafinha está confirmado no meio de campo da Seleção contra o JapãoLucas Figueiredo / MowaPress / Divulgação

“O capitão vai ser o Neymar. Mas eu tenho um outro capitão aqui ao meu lado (Marquinhos, que também deu coletiva na sexta-feira). Ele poderia ter a faixa por tudo que representa, participa nos treinos, interage com outros jogadores. Não só ele, como Rodrigo Caio, Luan, Gabriel Jesus, pelo amor com que jogam. O Fernando (Prass) poderia ser capitão. Não temos um troféu, são 18 medalhas”, disse.

Micale decidiu também que Renato Augusto, embora considerado titular, ficará no banco de reservas neste sábado. Último jogador a se apresentar à delegação (quarta-feira, em Goiânia), o meia do Beijing Gouan, que fez apenas um treino, vai dar lugar a Felipe Anderson, mas entrará no decorrer da partida contra os japoneses.

“O time já está pronto. Nesse primeiro momento, o Renato vai aguardar um pouco. Seria injusto não começar com o Felipe Anderson. Mas ele vai ajudar muito durante os jogos e espero utilizá-lo neste jogo”, revelou o treinador, que só tem uma dúvida, entre os goleiros Uilson e Fernando Prass, que vai passar por uma avaliação da lesão no cotovelo pouco antes de a bola rolar.

Micale espera um jogo duro, contra um Japão competitivo e marcando forte, mas seu foco, admite, está na busca pelo ouro. Sem prometer realizar a única façanha que falta ao futebol brasileiro, ele assegurou que haverá muita disposição do grupo.

“Vamos nos entregar de corpo e alma. Acho que, no futebol, não existe pronto nunca, mas o que posso falar é de espírito, alma, entendimento. Deixar claro que queremos. Nesse sentido, temos muito claro. Se a medalha vai vir ou não, é um jogo de futebol. Mas estamos entregues a essa causa”, garantiu Micale, olhos marejados, sem esconder a emoção.

Escalações

Brasil: Uilson (Fernando Prass); Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos; Thiago Maia, Rafinha e Felipe Anderson; Neymar, Gabriel Jesus e Gabriel.

Japão: Kushibiki; Kamakawa, Iwanami, Fujiharu e Endo; Shiotani, Ideguchi, Nakajima e Minamino; Koroki e Asano.

Últimas de _legado_Olimpíada