Perto da estreia na Olimpíada, Vadão pede mais incentivo ao futebol feminino

Técnico destacou que a modalidade precisa de mais que uma medalha de ouro: 'Vai ter futebol feminino nas escolas?'

Por O Dia

Rio - Para a seleção feminina de futebol, a ansiedade pela estreia nos Jogos Olímpicos do Rio está prestes a acabar. As brasileiras fazem seu primeiro jogo nesta quarta-feira, diante da China, às 16h, no Engenhão. Jogando em casa, a equipe de Vadão vai em busca do lugar mais alto do pódio. O técnico reconheceu a importância da conquista de uma medalha de ouro para beneficiar a modalidade, mas destacou que o futebol feminino ainda tem um longo caminho pela frente.

Treinador frisou que a modalidade precisa de mais incentivo após os JogosRicardo Stuckert / CBF / Divulgação

"Nós temos conversado muito em relação a isso. Por exemplo, vamos supor que ganhemos a medalha de ouro para dar um grande impulso à modalidade. Vamos admitir que a gente vença. No dia seguinte, vai ter futebol feminino nas escolas? No dia seguinte, as prefeituras vão decidir fazer uma escolinha de futebol feminino? O que nos falta é isso. O incentivo social. Nós não podemos não jogar futebol feminino no Brasil. Temos poucas equipes que jogam, mas não temos foco. Essa responsabilidade da medalha para salvar o futebol feminino eu não acredito. Acho que pode dar um ganho em patrocinador, investidor, mas salvar o futebol feminino só será salvo quando todo mundo pegar e falar: "Vamos desenvolver realmente a modalidade do futebol feminino no Brasil", disse.

Vadão contou que o trabalho para os Jogos Olímpicos do Rio vai além das quatro linhas. O técnico afirmou que as meninas da Seleção estão recebendo os cuidados necessários para enfrentar a pressão da torcida brasileira, jogando em casa.

"Em relação à expectativa é uma das coisas que a gente tem trabalhado para que as atletas convivam com isso. As atletas não têm muita convivência com o público no Brasil. Estamos trabalhando forte com o lado psicológico delas".

Últimas de _legado_Olimpíada