Por pedro.logato

Rio - Após 120 anos, os Jogos Olímpicos finalmente chegam à América do Sul. A primeira edição no continente poderá até não ser um exemplo de perfeição na organização e nas instalações, mas certamente compensará com a enorme emoção de atletas e o apoio de espectadores, resgatando o clima de Copa do Mundo que o Brasil viveu há dois anos.

Foram 2.499 dias de espera após o anúncio de que o Rio seria a sede dos Jogos de 2016. A cidade será palco de 42 esportes, envolvendo 306 competições em 18 dias. Um ‘exagero’ na Cidade Maravilhosa que, em agosto, passa a ser a capital esportiva do mundo. Se o Barão de Coubertin, fundador dos Jogos na Era Moderna, pregava que o importante é competir, o Rio vai acrescentar que com festa é muito melhor. E tudo começa às 20h, no Maracanã, com a Cerimônia de Abertura.

Seleção feminina de vôlei briga pelo tricampeonato Divulgação

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

Os números dos Jogos Olímpicos impressionam. Serão 206 países e mais um conglomerado de refugiados competindo — em belo exemplo de que o esporte supera barreiras. No total, 11.385 atletas buscarão 971 medalhas — 306 de ouro, 306 de prata e 359 de bronze. O público passará dos 7 milhões nas arenas do Parque Olímpico, Engenhão, Maracanã, Sambódromo e Deodoro.

O Comitê Olímpico Brasileiro sonha terminar entre os dez primeiros no quadro geral de medalhas, mas a missão não é fácil. Em Londres-2012, a Austrália foi a décima colocada, com sete ouros, 16 pratas e 12 bronzes, bem à frente da delegação brasileira, que terminou na 22ª colocação, com três ouros, cinco pratas e nove bronzes.

Pelé vai acender a pira olímpicaReuters

A conceituada revista americana ‘Sports Illustrated’ fez um estudo e apontou 19 medalhas para o Brasil, sendo seis ouros, quatro pratas e nove bronzes. O vôlei de praia faria dois campeões olímpicos com Alisson/Bruno Schmidt e Larissa/Talita, um ouro na vela com a parceria Martine Grael/Kahena Kunze (49erRX). O vôlei, o futebol masculino e a canoagem, com a dupla Isaquias Queiroz/Erlon Silva, completariam o quadro dourado brasileiro. Já os analistas da consultoria americana Goldman Sachs, que em Londres acertaram o número de medalhas da Grã-Bretanha e a ordem dos dez primeiros no quadro de medalhas, aposta no Brasil em 16º, com cinco ouros.

PELÉ CONFIRMADO

Principal candidato a acender a pira olímpica, Pelé está liberado para a missão. Ele tinha alguns compromissos profissionais, mas conseguiu remarcá-los e deverá estar na cerimônia. O Rei do Futebol tem enfrentado fortes dores no quadril, o que ainda impediria a confirmação de sua presença hoje no Maracanã.

Você pode gostar