Medalhistas em 2012, Sarah Menezes e Felipe Kitadai vão à luta neste sábado

Judocas tentam fazer ainda mais história pelo país

Por O Dia

Rio - Esporte que mais deu medalhas (19) ao Brasil em Olimpíadas — três ouros, três pratas e 13 bronzes —, o judô estreia hoje nos Jogos do Rio disposto a fortalecer e ampliar sua tradição. Sarah Menezes, ouro em Londres-2012, na categoria ligeiro feminina (até 48 quilos), e Felipe Kitadai, bronze na categoria ligeiro masculino (até 60 quilos), também na capital inglesa, vão pisar o tatame, na Arena Carioca 2 (a competição começa às 10h), dispostos a fazer bonito e faturar o bicampeonato. 

Os adversários de estreia de Sarah e Felipe sairão de eliminatórias preliminares. A de Sarah será definida na luta entre a romena Monica Ungureanu e a belga Charline Van Snick; o de Kitadai, no duelo entre o palestino Simon Yacoub e o francês Walide Khyar.

Kitadai e Sarah são esperanças de medalha no primeiro dia do judô na OlimpíadaWander Roberto / Exemplus / COB / Divulgação

Sarah rejeita a pressão por uma atuação semelhante à que lhe rendeu o lugar mais alto do pódio na Inglaterra. “Eu não ligo muito para isso. Eu vou entrar no tatame é para lutar”, disse a campeã, que está escalada hoje para estrear na 33ª luta da programação dos Jogos do Rio.

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

Quinta colocada do ranking mundial de sua categoria, Sarah só encontrará alguém em melhor posição se chegar à semifinal. Mas deverá ser, justamente, a atual líder, Urantsetseg Munkhbat, da Mongólia. Entretanto, a brasileira garante que terá atenção total aos demais confrontos. “Todas as lutas são importantes. Não tem como relaxar até o final”, afirmou a judoca piauiense.

PREPARAÇÃO E CONFIANÇA

A situação de Felipe Kitadai é um pouco mais difícil. O paulistano é o 16º colocado do ranking mundial da categoria ligeiro e pode encarar o vice-líder, Orkhan Safarov, do Azerbaijão, se ambos chegarem às quartas de final. Mas Kitadai confia no trabalho preparatório realizado em Mangaratiba, onde a delegação brasileira de judô ficou concentrada de 24 de julho até quinta-feira, quando ele e Sarah chegaram à Vila Olímpica.

“A gente ficou em um espaço reservado, especial para o judô e cheio de gente com sonho, com muita vontade. Isso só acrescentou para a gente”, frisou o judoca, que só encontrará o líder do ranking mundial, o sul-coreano Won Jin Kim, em uma possível luta pela medalha de ouro.

Últimas de _legado_Olimpíada