Por pedro.logato

Rio - Há quatro anos, Rafaela Silva foi desafiada a visualizar sua vida fora dos tatames durante a Olimpíada de 2016. Após a eliminação polêmica em Londres, a judoca voltou para casa disposta a parar de lutar. Foi nesse momento que a coach esportiva Nell Salgado entrou em seu caminho e desenvolveu um trabalho decisivo para a medalha de ouro olímpica.

Nell Salgado ao lado de Rafaela Silvaarquivo pessoal

“Quando ela voltou da Olimpíada, disse que queria parar de lutar. A gente fez um trabalho de visualização. Ela estava em depressão, tinha sofrido bullying... Mas a fiz pensar em como se sentiria assistindo à Olimpíada do Rio, em sua casa, perto da família e amigos, pela televisão. Ela chorou muito e entendeu que essa era sua missão”, contou Nell Salgado.

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

No primeiro contato com a preparadora, a judoca ficou na defensiva. A irmã, Raquel Silva, que já havia iniciado um trabalho com a especialista, foi a responsável pela aproximação. Aos poucos, a conexão entre as duas se fortaleceu ao ponto de Rafaela iniciar a faculdade de Psicologia, trancada por conta dos Jogos Olímpicos. “Na primeira palestra de grupo, ela ficou quieta. A irmã falou que era legal e, quando fez o individual, criamos uma conexão”, explicou Nell.

Rafaela Silva calou os críticos e conquistou a medalha de ouro na categoria até 57kgMárcio Mercante / Agência O Dia

A coach contou que esteve com a judoca na Vila Olímpica na véspera da luta e sentiu como Rafaela estava após o judô brasileiro ter passado em branco durante os dois primeiros dias dos Jogos. E saiu do encontro confiante: “A Rafa estava tranquila, ela trabalha bem sob pressão. A maior pressão é a cobrança pessoal dela.”

Você pode gostar