Por pedro.logato

São Paulo - Pressão. Poucas vezes essa palavra esteve tão intimamente ligada ao dia a dia de uma equipe quanto ao da Seleção olímpica. Atormentada pela obrigação de conquistar a inédita medalha de ouro, nos Jogos do Rio, o grupo teve de lidar com as críticas pelas más atuações na primeira fase do torneio de futebol (contra África do Sul e Iraque, principalmente) e, agora, se vê obrigada ter que decidir a classificação às semifinais — contra a Colômbia, às 22h, no Itaquerão —, provavelmente, sem Neymar, seu principal astro.

Brasil encara a Colômbia neste sábadoLucas Figueiredo / MowaPress / Divulgação

Com uma entorse no tornozelo direito, sofrida no fim da partida contra a Dinamarca, o camisa 10 tem feito tratamento intensivo no local, mas sua escalação não está confirmada. O técnico Rogério Micale, porém, mantém o otimismo. “Neymar está passando por um tratamento intenso, sendo acompanhado a cada instante. O melhor é que ele esteja pronto, sem dor, para o poder jogar. Garanto que Neymar vai estar apto”, disse.

Micale, porém, não confirmou a escalação. Ele conta com a volta de Thiago Maia, após cumprir suspensão, e Walace, que iria para a reserva. Mas a boa atuação contra a Dinamarca deixou o treinador em dúvida sobre quem joga. Sobre a Colômbia, pregou respeito. “Vamos enfrentar uma equipe bem postada, que agride muito quando recupera a posse de bola, tenta chegar ao campo do adversário o mais rápido possível. Temos que nos manter concentrados”, frisou.

Apesar dos elogios ao adversário, Micale avisou que a Seleção não mudará sua forma de atuar e vai buscar o gol de forma intensa. “Vamos manter nossa forma de jogar, temos encaixe dentro das características de nossos jogadores. Mudar conceitos agora, sem tempo para trabalhar, é complicado. Nossa forma de atuar, nosso conceito de jogo, não muda”, explicou.

O treinador também evitou falar sobre o duelo entre Brasil e Colômbia na Copa do Mundo de 2014: “Não me preocupo em relação a 2014. É passado. As lições que Neymar, o Brasil, nós, tínhamos que tirar, tiramos. Agora é olimpíada. É um jogo para entrar para a história, duas grandes seleções, nossa intenção é sair com a vitória”.

Você pode gostar