Por pedro.logato

Rio - O dia não foi bom para o Robert Scheidt. O brasileiro fechou a série classificatória com um 26º e um 12º lugar e viu os rivais abrirem vantagem no ranking geral. Com isso, ele perdeu a vice-liderança geral e precisa de uma combinação na “medal race” nesta segunda-feira para conseguir conquistar uma medalha na classe laser.

Scheidt fechou a série com 114 pontos perdidos e descartou um 27º lugar para ficar com 87. O líder é o croata Tonci Stipanovic, com 57; Tom Burton (AUS) tem 67; Sam Meech (NZL) tem 77; Jean Baptiste Bernaz (FRA) tem 86; Nick Thompson (GBR) está empatado com Scheidt com 87.

Robert Scheidt complicou a sua situação na classe laserWander Roberto/Exemplus/COB

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

Apenas dez barcos participam da “medal race”, na qual só é possível tirar 18 pontos de desvantagem – e isto se o rival for o último. Desta forma, o brasileiro precisa ficar pelo menos seis posições à frente de Meech e à frente de Bernaz e Thompson para ser bronze. Combinações possíveis são: Scheidt vencer a regata da medalha, e o neo-zelandês Sam Meech ser sétimo, oitavo, nono ou último.

Grael e Kunze se consolidam na disputa

A dupla brasileira na classe 49er FX feminino vai se firmando entre as favoritas à medalha, tendo desempenho sólido nas primeiras provas da competição. Neste sábado Martine Grael e Kahena Kunze venceram a terceira regata e tiveram ainda um 10º, um 2º e um 6º lugar no dia. Elas estão na segunda colocação geral com 29 pontos perdidos na metade da série classificatória.



Você pode gostar