Por edsel.britto

Rio - A campanha até agora tem sido irretocável: a seleção brasileira feminina de vôlei venceu todos os seus jogos da fase de classificação, sem perder nenhum set. Agora, chegou a hora do mata-mata nos Jogos do Rio. Nesta terça-feira, às 22h15, no Maracanãzinho, o time do técnico José Roberto Guimarães enfrenta a China, atual vice-campeã mundial.

Líder do Grupo A na primeira fase, com cinco vitórias em cinco partidas, o Brasil encara um rival que não fez uma campanha tão boa. A China terminou em quarto no Grupo B, com duas vitórias e três derrotas. Se avançar, o Brasil enfrentará o vencedor do duelo entre Coreia do Sul e Holanda na semifinal. Os outros confrontos das quartas de final são Estados Unidos x Japão e Sérvia x Rússia.

Sheila é uma das armas do Brasil na busca pelo tricampeonato no vôleiFIVB/Divulgação

“Temos que estar muito atentas. Em Londres, ficamos em quarto na fase de classificação, cruzamos com a Rússia e eliminamos o time delas. Sabemos que nos Jogos Olímpicos tudo pode acontecer, principalmente a partir de agora. Naquele episódio, todos pensaram que nosso time estivesse morto e nós renascemos. Agora temos que usar isso como exemplo e buscar essa vaga na semifinal”, afirmou Sheilla.

Na primeira fase, o Brasil enfrentou Camarões, Argentina, Japão, Coreia do Sul e Rússia. “A China tem jogadoras de quase dois metros de altura, então é um grupo que tem as qualidades de um time asiático, que defende e joga rápido, mas com esse diferencial da altura”, afirmou Sheilla.

Você pode gostar