Por edsel.britto

Rio - Aos 55 anos, Carl Lewis tenta esconder os cabelos brancos tirando todos eles com máquina e navalha. Mas o tempo longe de casa faz com que eles teimem em aparecer. No Rio para comentar o atletismo, em que é um mito, ele elogia a cidade, mas com um pequeno senão.

"Estou tendo grandes momentos aqui. Eu amo o Rio. O trânsito é um desafio, mas isso acontece no mundo todo. As pessoas, a organização tudo está sendo maravilhoso aqui", elogiou.

Nove medalhas de ouro e uma prata em Jogos Olímpicos. Bicampeão dos 100 metros rasos em Los Angeles-1984 e Seul-1988, Carl Lewis não consegue achar uma resposta sobre quem poder ser o novo rei da prova. Atual dono da coroa, Usain Bolt já disse que não estará em Tóquio-2020 e Justin Gatlin terá 38 anos na ocasião.

Carl Lewis fez uma análise sobre as provas de corridas e se mostrou surpreendido com os 400m rasosDivulgação/Nike

“Se você fizesse essa pergunta há oito meses não saberíamos a resposta. Trayvon Bromell poderia ir longe, mas acabou em oitavo. O melhor do esporte é que você não sabe o que vai acontecer, a história vai definir isso. Muitas pessoas tentam antecipar, mas elas erram. As provas de velocidade são globais e agora vemos os tempos voltando ao normal. Temos muitas pessoas que podem chegar lá, mas nunca faço previsões. Não começarei agora.”

Apesar do tricampeonato de Bolt em uma prova que era uma de suas especialidades, Lewis não se impressionou muito com o feito do jamaicano e preferiu apontar Wayde van Niekerk, campeão dos 400 metros, como grande destaque do domingo no atletismo.

"Olhando o que aconteceu no dia, os 400 metros livres foram incríveis. A corrida foi uma transformação no esporte. Teremos essa noção no futuro”, disse Lewis, que concluiu:

“Muitas pessoas falam ‘olha o que ele fez na raia 8’, mas não importa a raia se você está focado. Algumas pessoas correm melhor por ali. Além disso, ele correu 100m em 10 segundos. Isso é muito rápido”, disse elogiando o sul-africano que estabeleceu um novo recorde mundial para a prova ao marcar 43,03s.

Carl Lewis vê o posto deixado por Bolt nos 100 metros rasos vago para Tóquio-2020Adriano Vizoni / Folhapress / NOPP

O campeão dos 100 metros Usain Bolt reclamou de ter que correr as semifinais e finais em uma diferença de um pouco mais de uma hora. Lewis deu razão ao jamaicano, mas fez questão de ressaltar que na sua época era bem pior.

"Era muito difícil. Concordo com eles, mas eles tem um calendário melhor do que eu tinha. Em Los Angeles (1984), eu corri 11 vezes e ainda tive dois dias de salto em distância. Agora são apenas duas eliminatórias. É um pouco mais fácil. Eles mudaram nos anos 2000", explicou Lewis, que completou:

"Todo dia eu ficava um pouco pior. Eu competi por quatro dias seguidos, tive uma folga e foram mais quatro de novo. Eu tinha que competir. Foram oito de nove dias. Era difícil até aquecer. Naquela época, não tínhamos a tecnologia que temos hoje. Era aquecer, ir para casa e descansar".

Você pode gostar