Por pedro.logato

Rio - A primeira medalha ouro olímpica da história do boxe brasileiro tem o sotaque e o gingado do baiano Robson Conceição. O francês Sofiane Oumiha não foi páreo na final da categoria peso leve (até 60kg) e foi derrotado por decisão unânime dos árbitros.

Robson Conceição conquistou a medalha de ouroSeverino Silva

Em sua terceira Olimpíada, o pugilista, de 27 anos, garantiu o terceiro e inédito ouro para o Brasil nos Jogos do Rio. Eliminado em sua estreia em Pequim-2008 e Londres-2012, Robson superou o trauma e escreveu o nome no livro de ouro dos campeões olímpicos diante dos olhos da esposa, Erika, e da herdeira, Sophia, que completará 2 anos na sexta-feira e receberá de presente a prometida medalha dourada.

LEIA MAIS: Notícias, programação e quadro de medalhas da Olimpíada do Rio

Horas antes do início do combate, a torcida já anunciava o nome do 'campeão': "Conceição, Conceição, Conceição...". Não restava dúvida na força e crescimento do basileiro ao longo do torneio olímpico.

Revelado na academia de Luiz Dórea, técnico do ex-pugilista Acelino Popó Freitas, tetracampeão mundial em dias diferentes categorias, e Junior Cigano, um dos astros do UFC, o ex-vendedor de picolés chegou ao Rio no auge de sua carreira e justificou no ringue o motivo da confiança da comissão técnica da Seleção na conquista de sua medalha.

Um a um, os adversários foram ficando pelo caminho. Anvar Yonosov, do Tajiquistão, foi o primeiro a sentir o peso dos punhos do baiano e foi despachado nocauteado nas quartas-de-final.

Arretado, o baiano fez outra luta convicente contra o uzbeque Hurshid Tojbaev e venceu por decisão unânime: 3 a 0. Na semi com cara de final antecipada o cubano Lazaro Alves, tricampeão mundial e bronze em Londres-2012, foi adversário.

No terceiro round de tirar o fôlego, Robson Conceição confirmou a vitória por decisão unânime dos árbitros: 3 a 0. Nada e ninguém foi capaz de parar Robson no Rio.

Você pode gostar