Por gabriela.mattos

Rio - Programação gratuita a céu aberto, cidade bem policiada e uma diversidade artística como o Centro do Rio nunca viu. No feriado de ontem, o Boulevard Olímpico, na nova Região Portuária, foi a grande atração para turistas e cariocas. A estimativa de público não foi divulgada, mas, no último fim de semana, bateu os 150 mil visitantes por dia. A média diária, segundo a prefeitura, é de 80 mil frequentadores.

A família veio de Niterói para aproveitar os últimos dias de atrações no Boulevard. Christiane Garcia, de 33 anos, e Wellington Campos, 40, foram resistentes aos Jogos Olímpicos na cidade, que, segundo eles, andava abandonada. Mas acabaram se rendendo. “Vamos ficar com gostinho de quero mais”, disse Wellington.

Com os três quilômetros de Boulevard lotados, quem fez sucesso foram os artistas de rua, que aproveitaram para mostrar seus trabalhos e levantar uma grana. Tinha desde estátua viva, fanfarras e rodas de samba a cover da rainha dos baixinhos, Xuxa, que, ao abrir a boca, mais fazia a criançada mais chorar do que sorrir, mas a selfie era garantida.

O Grupo ONG Pela Vida%2C que atende portadores do vírus HIV%2C fez a alegria de quem passou pela Praça XV Sandro Vox / Agência O Dia

O pedreiro Ozeia da Conceição aproveitou para aumentar a renda com o movimento na Praça Mauá. Usando a carcaça de uma TV e microfone, cobrava alguns trocados por uma foto com os curiosos. “Vim um dia e faturei R$ 270, agora venho todo dia”, contou, animado. Mais à frente, um índio do Pará fatura R$ 300 por dia vendendo enfeites e acessórios. Outros aproveitaram para fazer campanhas de conscientização, como a ONG Pela Vida, que distribuiu cartilhas e preservativos.

Diversão é o que não falta

Último fim de semana da Olimpíada no Rio e tem gente que ainda não conheceu todas as atrações. Gratuitos ou não, os eventos são muitos e a cidade está lotada. Mas teve carioca que preferiu aproveitar o que a cidade tem de melhor: a beleza natural.

É o caso das amigas Sandra Freire, de 33 anos, e Cristiane Feres, 36, que depois de visitar o Boulevard com os filhos na quarta e passar alguns apertos como a falta de um lugar à sombra para sentar, decidiram passar o feriado na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão.

“Muita fila pra tudo lá (no Boulevard), só andamos e muito. Aqui na Quinta é mais seguro, tem bastante sombra e dá até pra comer uma fruta. Lá não tem como, é tudo muito cheio”, disse Sandra.

Outro destino foi a Urca. Andreia Marques aproveitou para almoçar fora e fugir da multidão. “Carnaval é a mesma coisa, vou para a Serra. Mas ainda quero ir ao Parque Olímpico”, confessou Andreia.

Você pode gostar