Daniel Dias, da natação paralímpica

Maior medalhista paralímpico do país já conquistou 10 ouros

Por O Dia

Daniel Dias%2C natação paralímpicaAgência Petrobras

Ele nasceu às 3h30 da madrugada do dia 24 de maio de 1988 na cidade de Campinas (SP). Pesava apenas 1,970kg, tinha 41cm e uma má formação congênita nos braços e na perna direita. Mas Daniel Dias nunca aceitou a palavra 'limitação' e, sempre apostando nos seus objetivos, se tornou o maior medalhista do país em Jogos Paralímpicos. Contando suas participações em Pequim (2008) e Londres (2012), ele soma 15 medalhas no total, sendo 10 ouros, quatro pratas e um bronze.

“Daniel é um jovem especial, não por ser deficiente, mas por ser ele mesmo e por ser como é”, declararam os pais do atleta, num texto emocionante publicado no site oficial do nadador em março de 2008. Eles ainda destacaram a lição de vida do nadador: “Daniel não tem complexos, vê a vida sempre bela, ama viver e diz que tudo é capaz, basta acreditar nos seus sonhos”.

E foi acreditando que poderia se tornar um vencedor que Daniel se transformou num dos principais nomes do esporte paralímpico brasileiro. Na infância, ele vivia quebrando suas próteses. E encontrou na natação a sua verdadeira vocação. A modalidade entrou na sua vida aos 16 anos, época em que o nadador Clodoaldo Silva brilhava nos Jogos Paralímpicos de Atenas (2004). De torcedor a ídolo, não demorou muito. Na edição seguinte, em Pequim (2008), Daniel já era uma estrela do esporte brasileiro, conquistando quatro ouros, quatro pratas e um bronze. Em Londres (2012), mais um show do campeão das piscinas, com seis ouros e o status de recordista brasileiro nos Jogos Paralímpicos.

Tanto sucesso lhe rendeu, em 2009 e 2013, o Prêmio Laureus, considerado o Oscar do esporte mundial, que já teve entre os vencedores Pelé, pelo conjunto da obra, em 2000, e Ronaldo, pelo melhor retorno, em 2003.