Peneira não assusta Dorival Júnior

Com 21 gols sofridos em 11 jogos, Vasco tem a pior defesa do Brasileiro, mas treinador mostra otimismo

Por O Dia


Rio - O setor defensivo tem sido o calcanhar de Aquiles do Vasco nesse Campeonato Brasileiro. Em 11 jogos, a zaga sofreu 21 gols e é a mais vazada da competição, com uma média de quase dois por jogo.

Dorival confia na defesa do VascoDivulgação

Para desespero da torcida, a equipe já sofreu duas derrotas por cinco gols: 5 a 1 para o São Paulo, na segunda rodada, e 5 a 3 para o Inter, na sexta. Mas os números não assustam o técnico Dorival Júnior. Há cinco rodadas no comando do Vasco, o técnico garante que houve uma leve melhora no setor.

“A defesa está em evolução. As duas partidas que perdemos foram por um gol de diferença (1 a 0 para o Flamengo e 3 a 2 para o Botafogo), então esses números não me incomodam. A preocupação é o que vem pela frente, e não o que já passou. São resultados normais. O importante foi que contra o Botafogo o Vasco não se acovardou”, disse o treinador.

Desde que voltou a São Januário, Dorival vem fazendo o que pode para melhorar a zaga. Já trocou o goleiro Michel Alves por Diogo Silva. Manteve Nei na lateral direita e Renato Silva na zaga e deu chance para Yotún se firmar no lado esquerdo. Mesmo apresentando uma pequena evolução, a defesa sofreu gols em todos os jogos.

Mas esse número já foi mais preocupante. Nos seis jogos em que Michel Alves foi titular, o Vasco sofreu 13 gols, média de 2,1 por jogo. Depois que Diogo Silva assumiu a meta, os números caíram. Em cinco jogos, ele sofreu oito gols, média de 1,6 por partida. Mas não se pode colocar toda a culpa na conta dos goleiros.

Entre a era Paulo Autuori e Dorival Júnior foram usados 12 jogadores diferentes na defesa. Os que mais atuaram foram o zagueiro Renato Silva e o lateral Nei, com oito jogos, seguidos de perto por por Luan e Rafael Vaz, ambos com seis.

Dorival aguarda o desfecho da negociação com o zagueiro Cris, que está no Grêmio, para que o setor encontre o tão sonhado equilíbrio. Afinal, desde que Dedé foi para o Cruzeiro, a defesa vascaína nunca mais foi a mesma.

Time jogará desfalcado contra a Ponte

Dorival pode ter até quatro desfalques no jogo de quinta-feira contra a Ponte Preta, em São Januário. Além de Renato Silva e Wendel, que estão suspensos, Guinãzu e Sandro Silva, machucados, farão novos exames, mas dificilmente devem ter condições de jogo. Juninho, que sentiu cãibras no segundo tempo do clássico com o Botafogo, não preocupa tanto e deve entrar em campo.

A diretoria desistiu de contratar por empréstimo o meia Dátolo, do Internacional. Não houve acerto financeiro entre as partes. Sem Dátalo, o Vasco encerra o ciclo de contratações para o Brasileiro. Mas alguns jogadores ainda podem sair. Casos de Fellipe Bastos, Alisson e Dakson, que não estão sendo aproveitados.