Dorival tem missão de remontar time e faz apostas para o clássico

Sem Juninho, treinador terá que escolher entre Willie ou Francismar

Por O Dia

Santa Catarina - A culpa é do calendário do futebol brasileiro. Quando, enfim, encontrou a escalação ideal do Vasco, Dorival Júnior voltou a sofrer com desfalques por causa de lesões, suspensões e até mesmo por conta de convocações. O treinador não desanima e pensa em um jeito de driblar os problemas. A cada ausência, uma aposta. E desse jeito e ele segue o trabalho com otimismo.

Dorival tem dúvidas na escalação da equipeMárcio Mercante / Agência O Dia

Para o clássico contra o Fluminense, na Ressacada, o comandante não terá o lateral Yotún, os apoiadores Juninho e Dakson e o atacante Edmilson. No treino de ontem, em São Januário, ele escolheu os substitutos e guardou uma surpresa para momentos antes do clássico. Henrique entrará na esquerda, Jhon Cley seguirá no meio e André volta ao ataque.

A dúvida é entre Willie, que tem atuado bem quando entra no segundo tempo e o recém-chegado Francismar, que pode estrear como titular. Mesmo confiante no grupo, Dorival Júnior criticou a maratona de jogos no segundo semestre.

“Com essa carga de trabalho, não tem como escapar das lesões. Temos um desgaste excessivo e uma recuperação muito curta. A gente entra em campo sem estar totalmente recuperado da última partida. Por isso tantos problemas”, afirmou o treinador, reconhecendo a dificuldade de escalar o time.

“Estamos trocando pneu com o carro em movimento. Perdemos o Eder Luis e foi complicado achar um novo esquema. Quando acho, tenho de mudá-lo de novo por conta de lesões”, desabafou.

Ao falar sobre o meia-atacante Francismar, contratado após sua indicação, Dorival aposta no sucesso do atleta, que pertencia ao Boa Esporte, da Série B, e chegou semana passada.

“Já o conheço de alguns campeonatos. Se ele repetir o que fez nas equipes que atuou, não tenho dúvidas de que será importante para a gente. O grupo precisava de alguém com as características dele”, afirmou.