Dorival escala o 12º jogador em Macaé

Satisfeito com apoio da torcida, técnico pede novo caldeirão no Moacyrzão

Por O Dia

Rio - Há duas semanas, o Vasco fazia as pazes com a vitória após sete jogos com uma atuação convincente diante do Internacional. No mesmo dia, o Gigante da Colina, punido pelo STJD, ainda chegava à conclusão que a escolha do Moacyrzão, em Macaé, como mando de campo, havia sido acertada. De lá para cá a situação do clube, porém, não mudou tanto e outra vez a vitória, agora contra o Goiás, na quinta, é fundamental. Para alcançar o objetivo, o técnico Dorival Júnior volta a confiar em seu novo caldeirão.

Dorival quer apoio da torcida em MacaéDivulgação

Na partida contra o Colorado, os torcedores fizeram a parte deles, com direito a boa presença e apoio incondicional durante os 90 minutos. E é justamente o que o time precisa agora. Depois de somar sete pontos em nove disputados, o Vasco voltou a perder e caiu uma posição na tabela. Atualmente na 18ª colocação, qualquer ajuda a dez rodadas do fim do Brasileirão é bem-vinda.
O técnico Dorival Júnior pediu apoio aos torcedores e, em troca, prometeu empenho do time em campo.

“A gente sabe que o torcedor tem feito a parte dele e tenho certeza que, em Macaé, assim como foi contra o Internacional, não vai ser diferente. Os vascaínos têm abraçado a equipe e isso é muito importante neste momento decisivo. Com eles juntos nos tornamos mais fortes e vamos sair dessa. O Vasco não está morto e vamos buscar melhor condição o quanto antes”, declarou o treinador.

Para o jogo contra o Goiás, Dorival Junior contará com o retorno de Juninho, que ficou fora das duas últimas rodadas, e do zagueiro Jomar, que cumpriu suspensão automática. Poupado por causa de um incômodo na panturrilha direita, o Reizinho treinou normalmente ontem e foi confirmado pela comissão técnica.

E a notícia contagiou o restante do grupo. “A volta dele é um incentivo a mais. Além de ser uma referência dentro de campo, é um líder fora, que muda o ambiente da concentração, do vestiário e até do treinamento. É um cara experiente que tem voz ativa no clube e exerce papel fundamental na questão da motivação”, elogiou o volante Fillipe Soutto, acrescentando. “Juninho chama sempre a responsabilidade para si”, completou.

Psicóloga entra em campo para ajudar


O momento é complicado. Com 32 pontos a dez rodadas do fim do Brasileirão, o time do Vasco precisa somar no mínimo mais 14 pontos para escapar da zona do rebaixamento. Tem sido difícil manter a calma na Colina. Por isso, os jogadores têm recebido atenção especial da psicóloga do clube, Maria Helena. Ela, inclusive, entrou em campo no treino desta terça e conversou com alguns atletas.

Para o volante Fillipe Soutto o suporte ajuda a melhorar o desempenho dos atletas.

“Todo esforço é válido. Por mais que eu ache que os jogadores têm de saber cuidar da parte mental, essa ajuda é importante. Sempre converso com a Maria Helena. É uma profissional que conhece bem o clube”, elogiou.