Por pedro.logato

Rio - Com apenas um mês e dez dias de contrato para mostrar resultados, Adilson Batista inicia no sábado, às 19h30, o maior desafio de sua carreira. A missão não é simples. O duelo contra o Coritiba, no Moacyrzão, é o primeiro dos sete jogos que restam para o Vasco escapar da zona de rebaixamento. Com a calculadora na mão, o técnico sabe que a vitória logo na estreia será fundamental.

Adílson faz sua estreia pelo VascoDivulgação

Apresentado na terça-feira, Adilson Batista teve apenas três dias para preparar o time. Desde que vestiu o uniforme e entrou em campo, seu objetivo é bater o Coxa. Vibrante, ele mostrou que conhecia todos os jogadores do grupo, fez vários testes entre os titulares e não poupou cobranças aos jogadores. Um verdadeiro tratamento de choque.

A mudança no comando mudou o clima em São Januário. O desânimo deu lugar à esperança e uma nova regra foi criada na Colina.

“Vamos pensar jogo a jogo. Não há tempo para criarmos estilo. Temos de jogar preparados para cada adversário. Contra o Coritiba, um adversário que também estava nessa situação complicada, vamos contar com a presença de dez mil vascaínos nos apoiando. Tentei passar aos atletas a responsabilidade que temos nesse confronto. Precisamos respirar esse momento para vencê-los. Eu acredito”, afirmou Adilson.

No último treino antes do confronto de hoje à noite, já realizado em Macaé, o técnico fez novas observações no time. Ele testou Wendel no lugar de Abuda na cabeça de área e deu mostras de que deve manter Alessandro no gol. No entanto, ao ser perguntado sobre qual seria a escalação do Vasco, o comandante preferiu fazer mistério.

Torcida vai a treino

Se em São Januário a tensão tomou conta dos funcionários e a sede permaneceu fechada e com segurança reforçada durante toda a semana, sexta, em Macaé, Adilson Batista liberou a entrada da torcida para acompanhar o treinamento.

Um grupo de cerca de 40 vascaínos acompanhou as atividades de forma pacífica, sem protestos ou xingamentos. Ao contrário dos últimos dois jogos do time em Macaé (contra Internacional e Goiás), a procura por ingressos, entretanto, não foi grande.

Barrado, André corre o risco de não atuar mais

O técnico Adilson Batista mostrou que não chegou ao Vasco para brincadeiras. Irritado com o atraso do atacante André no treinamento de quinta-feira, o comandante barrou o jogador, que nem viajou para Macaé, local da partida de hoje contra o Coritiba. Artilheiro do time na temporada com 11 gols, o camisa 9 corre o risco de não atuar mais pelo Gigante da Colina.

Já sem tanto prestígio na época de Dorival Júnior por causa da presença constante em noitadas, André não tem trabalhado nem entre os reservas.

Emprestado ao Vasco até dezembro — ele pertence ao Atlético-MG —, o atacante não deve ser procurado pela diretoria para renovar o contrato. E já há quem diga que dificilmente voltará a ser utilizado.

“Foi um opção. Não é a primeira nem a última vez que vou fazer escolhas. Vivencio o que acho importante”, justificou Adilson Batista.

Você pode gostar