Por elisa.souza

Rio - A chuva não dá trégua à cidade do Rio de Janeiro desde a noite de terça-feira. Mas nem esse aguaceiro foi capaz de esfriar os ânimos dos vascaínos, que na quarta-feira mostraram estar dispostos a fazer um grande espetáculo no Maracanã, domingo, contra o Santos. Milhares de torcedores enfrentaram o mau tempo e encararam filas enormes, tanto no Maracanã quanto em São Januário, para garantir um ingresso. Restam agora apenas os bilhetes mais caros (R$ 120), no nível do gramado no setor Oeste (Maracanã Mais). A carga de 3.600 ingressos destinada para a torcida do Santos ainda está disponível.

Vascaínos não se intimidaram com a forte chuva que não deu trégua o dia inteiro e enfrentaram fila para garantir ingresso para jogo de domingoCarlos Moraes / Agência O Dia

A necessidade de vencer o Santos na luta pela permanência na Série A bastaria para levar os torcedores ao Maracanã. No entanto, a redução no preço dos ingressos (com valores entre R$ 5 e R$ 120) e a disputa com o Flamengo para bater o recorde de público em partidas de clubes no Novo Maracanã aumentaram ainda mais a procura por ingressos — a marca pertence ao Fla, que jogou para 56.224 pessoas contra o Goiás, na quarta-feira.

Embora a carga máxima de ingressos à venda tenha sido de 51.600 (um total de 64.561 bilhetes disponíveis por causa das cadeiras perpétuas e gratuidades), a campanha ‘70 mil no Maraca’ empolgou.

Rivalidade Sadia

A movimentação dos torcedores contagiou o time. Ontem, o apoiador Pedro Ken reconheceu que a motivação aumenta com o estádio lotado. “Para o jogador, não existe nada melhor que jogar em estádio cheio. Caso o Maracanã tenha setenta mil torcedores, será o maior público da carreira de muito atleta que está aqui no Vasco. Isso tem sido conversado e empolga o time. Dá mais vontade de entrar e jogar bem. Ser no Maracanã, um local histórico, tornará o momento ainda mais especial”, afirmou.

O jogador aproveitou para entrar no clima de disputa com o Flamengo. “Esse tipo de rivalidade é sadia. Disputar quem enche mais o estádio é algo bonito no futebol e é assim que tem que ser. A torcida do Vasco está em vantagem por saber o público que o Flamengo colocou. Esperamos ganhar essa disputa e vencer o Santos, que é o nosso principal objetivo”, disse Pedro Ken.

Perto dos 50 jogos, Pedro Ken espera ficar no clube

Pedro Ken viveu altos e baixos no Vasco desde que chegou no início do ano. O camisa 10, entretanto, se encontrou na cabeça de área e tornou-se uma das referências da equipe. De quebra, conquistou o respeito dos torcedores. Contra o Santos, ele completará 50 jogos com a camisa do Gigante da Colina e, com contrato até dezembro, não esconde a vontade de permanecer por mais tempo no clube.

“É um momento especial para mim, pois sempre busquei uma chance como essa na carreira. Queria estar em um grande clube. Estou feliz por alcançar essa marca em um ano, ainda mais em um jogo importante e com o Maracanã lotado”, afirmou.

Pedro Ken disse esperar que a festa seja completa com uma vitória do Vasco e não escondeu seu maior desejo: “Todo mundo sabe que quero seguir no clube.”

Juninho tem suspensão reduzida e está liberado

A escalação de Juninho domingo, contra o Santos, agora depende apenas do aval do departamento médico. Após o Vasco recorrer ao Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta da suspensão de dois jogos que o Reizinho sofreu por fazer gestos obscenos no clássico com o Flamengo, pela 26ª rodada do Brasileirão, a punição do atleta, por maioria de votos, foi reduzida para uma partida e uma advertência. Como já cumpriu a suspensão, o camisa 8 está liberado para atuar.

Com uma inflamação no púbis, Juninho segue sendo avaliado pelos médicos do Gigante da Colina e pela comissão técnica. Mesmo tendo treinado aparentemente sem sentir dores, a escalação do veterano é vista com cautela e ainda é uma dúvida. Ele tem sido analisado diariamente e sua situação deve ser definida apenas amanhã

Você pode gostar