Por rafael.arantes

Rio - Não interessa a motivação do adversário, se ele já conquistou o título ou se já foi rebaixado. Os jogadores do Vasco mais do que nunca estão fechados em busca do mesmo objetivo com direito a pacto para livrar o clube da Série B. No último treino antes da partida deste domingo, às 17h, contra o Náutico, no Maracanã, justamente um dia após o técnico Adilson Batista admitir o afastamento de alguns atletas, o grupo se reuniu sem a presença da comissão técnica para reafirmar a necessidade de manter o foco.

Enquanto o time do Náutico vive crise que teve direito a ameaça de greve, os jogadores do Vasco suaram a camisa durante a semana. Ontem, com o apoio de aproximadamente 200 torcedores em São Januário, o grupo fez apenas um circuito físico. Entretanto, aproveitou para conversar entre si. A reunião durou apenas cinco minutos, o suficiente para líderes como o volante Wendel e o goleiro Michel Alves se manifestarem e firmarem o pacto de todos acreditarem até o fim na recuperação.

Vasco quer se livrar da degolaCarlos Moraes / Agência O Dia

SEM POLÊMICA
Aplausos selaram o fim da reunião. Curiosamente, a iniciativa aconteceu um dia após o técnico Adilson Batista afastar André, Willie, Montoya, Sandro Silva e Francismar, que, com suspeita de falta de comprometimento com a causa do elenco, não devem mais atuar nesta temporada. Ao ser perguntado sobre o que foi falado no encontro, o jovem atacante Thales esquivou-se para fugir de polêmica.

“Não falamos nada demais naquela reunião. Só debatemos coisas de jogo mesmo, o que pode acontecer em campo. É legal ter esse tipo de papo entre os atletas. Sempre acontece e, por isso, é algo normal”, afirmou.

Mesmo ciente da importância do duelo de logo mais — o Vasco precisa desesperadamente da vitória para seguir com chances de escapar do rebaixamento —, Adilson Batista dessa vez não fez mistério. Ele vai repetir a escalação da equipe que venceu o Cruzeiro, no último fim de semana, por 2 a 1.

Você pode gostar