Atlético-PR e Vasco: Sargento explica falta de policiamento no jogo

Três torcedores ficaram gravemente feridos

Por O Dia

Joinville - O sargento da Polícia Militar de Santa Catarina, Adilson Moreira, explicou que o Ministério Público local decidiu que a segurança no estádio fosse feita por seguranças particulares. Devido ao baixo efetivo, torcedores de Vasco e  Atlético-PR brigaram na arquibancada da Arena Joinville.

>>> FOTOGALERIA: As imagens da briga entre torcedores em Joinville 
"Não é um acordo, é uma questão de entendimento do Ministério Público e da Polícia Militar, porque esse é um evento privado. Se tivesse a polícia, talvez até ocorresse, porque não estamos longe de acontecer, pois isso já aconteceu em outros estados. Mas vamos estar prontos para a intervenção como estivemos sempre. É um evento privado e a Policia Militar tem de fazer sua parte externamente", declarou.

Jogadores do Atlético-PR pedem calma%3A os atletas ficaram desesperadosCarlos Moraes / Agência O Dia

Willian Batista, de 19 anos, torcedor do Atlético-PR, sofreu uma fratura no crânio e ficou gravemente ferido. Estevão Viana, de 24 anos, Diogo Cordeiro, de 29 anos, também foram encaminhados para um hospital da região, mas não correm risco de morte. O jogo ficou paralisado por mais de uma hora, antes de ser reiniciado.