Briga generalizada interrompe o jogo entre Atlético-PR e Vasco

Willian Batista, torcedor do Furacão, ficou gravemente ferido e precisou ser socorrido pelo helicóptero da Polícia Militar

Por O Dia

Paraná - Uma briga generalizada entre torcedores interrompeu a partida entre e Vasco e Atlético-PR, na Arena Joinville, neste domingo. Sem policiamento nas arquibancadas, torcedores correram pelo estádio e se encontraram. O que se viu foi pancadaria e cenas de selvageria, com pessoas sendo pisoteadas. Alguns torcedores chegaram a pular para o gramado na tentativa de se proteger. A Polícia demorou a intervir. Willian Batista, de 19 anos, torcedor do Furacão, sofreu uma fratura no crânio e está em estado grave. 

Torcedor ferido é socorrido pela polícia militar Carlos Moraes / Agência O Dia

Depois do tumulto, alguns torcedores ficaram caídos na arquibancada à espera de atendimento. Um helicóptero da Polícia Militar pousou no campo para socorrer os feridos. O volante Wendel, do Gigante da Colina, lamentou toda confusão.

"Triste esses confrontos, não tenho palavras. Deu para ver uma pessoa no chão, não sei o que aconteceu. Mais um desastre no nosso futebol brasileiro. Ano de Copa do Mundo, ano em que o Brasil vai ser visto para o mundo todo. É difícil. É difícil pensar em tirar o time do rebaixamento e espero que não tenha acontecido o pior. Por isso que a gente vem tentando criar esse Bom Senso. A gente quer organizar um pouco mais" disse em entrevista à TV Globo.

Torcedor é removido de maca após briga generalizada Carlos Moraes / Agência O Dia

O zagueiro Luiz Alberto, que chegou a chorar ao ver confronto nas arquibancadas do estádio, relatou o horror ao ver uma pessoa sendo chutada e recebendo pauladas.

"Infelizmente a gente tem que continuar. A gente estava tentando tirar os torcedores do Atlético. Estávamos vendo o rapaz deitado, tomando chute, levando golpe de madeira. É um ser humano. Isso precisa parar. A gente pedia para eles pararem, e eles não nos escutavam", afirmou.