Por pedro.logato

Santa Catarina - Já passaram cinco meses desde aquele dia 8 de dezembro, mas, na Colina, a ferida dos acontecimentos na Arena Joinville ainda não foi cicatrizada. Em campo, o Vasco foi derrotado por 5 a 1 para o Atlético-PR e acabou rebaixado para a Série B. Fora dele, a briga generalizada entre os torcedores na arquibancada ainda deixa resquícios. Neste sábado, às 16h20, o Gigante, em busca de reabilitação, volta ao estádio para encarar o Joinville e, de quebra, seus próprios fantasmas.

Vasco busca resultado positivo em JoinvilleDivulgação

O saldo negativo daquela tarde, que marcou a última rodada do Brasileirão passado, até hoje é calculado na Colina. Se não bastasse o rebaixamento, que diminuiu a receita das cotas de transmissão da TV e ainda encerrou o patrocínio da montadora Nissan, o clube ainda cumpre punição imposta pelo STJD por causa da barbárie que tomou das arquibancadas — o Gigante tem de mandar mais dois jogos a 100 quilômetros de distância do Rio.

Por tudo o que aconteceu na ocasião, ainda há o receio de uma represália maior por parte dos moradores de Joinville na volta do Vasco à cidade. “Foi um dia horrível para o clube, mas já passou. O momento agora é outro, com outra situação e adversário. Temos de esquecer tudo e focar apenas na partida”, ressaltou Pedro Ken.

Você pode gostar