Por pedro.logato

Rio - Não é hora de se expor. Muito menos de perder a ofensividade. Com 22 pontos, o Vasco pode encostar de vez no G-4 da Série B já nesta rodada, mas, para alcançar seu objetivo fora de casa, diante do ABC, o time terá de se reinventar. Sem o lateral-esquerdo Diego

Renan e o volante Guiñazu, suspensos, e o atacante Thalles, com a Seleção sub-20, o técnico Adilson Batista vai mudar de esquema e apostar na velocidade do jovem Lucas Crispim, prestes a receber sua primeira chance entre os titulares.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

O tradicional 4-4-2 dará lugar a um time com um jogador a mais no meio de campo e apenas um atacante. Pela formação testada ontem, no CFZ, Kléber deve ser a referência do trio de apoiadores formado por Douglas, Dakson e o próprio Crispim, este com mais liberdade para chegar à frente. Marlon, na lateral, e Aranda, no meio, completaram a lista de novidades na equipe.

Lucas Crispim deve ser titularDivulgação

Com a formação, Adilson Batista exigiu que o time trabalhasse bem a bola e, sem ela nos pés, reposicionasse rapidamente a marcação. Contra o ABC, Crispim, que chegou ao Vasco após se destacar na base do Santos, é a carta na manga para aumentar a velocidade da equipe.

“Com essa formação, vamos chegar bem ao ataque trabalhando a bola no meio. Crispim é um jogador muito ofensivo, terá mais liberdade, e eu e o Douglas temos qualidade para atacar e voltar para marcar”, explicou Dakson.

MONTOYA FICA

Por pouco ele não foi emprestado ao Vitória de Guimarães, de Portugal, mas o Vasco decidiu prorrogar o contrato de Montoya. Mesmo sem muito espaço no time, o jovem colombiano já foi procurado e as duas partes devem assinar a extensão do vínculo de julho de 2015 para a metade de 2017.

OUTRA VOTAÇÃO DEFINE FUTURO DE DINAMITE

Por ordem da Justiça, a eleição presidencial do Vasco foi remarcada para o dia 11 de novembro. Na Colina, entretanto, um novo tema deve entrar em votação entre os conselheiros do Gigante da Colina até amanhã. Como o mandato de Dinamite termina no dia 19 e o do presidente do

Conselho Deliberativo, Abílio Borges, e de todos os conselheiros acabará amanhã, haverá um pleito para decidir a extensão de mandatos de todos por mais três meses.

Caso Roberto Dinamite não siga no cargo, o que é pouco provável, o estatuto prevê outra situação: uma comissão administrativa será formada com a missão de comandar o clube.

Você pode gostar